Seguros: rentabilidade do setor cresceu 39% em 2005

17/04/2006

No ano passado o setor de seguros registrou uma rentabilidade 39% superior ao resultado de 2004. É o que aponta estudo encomendado pelo Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP). Em 2004 a margem de rentabilidade das companhias de seguros foi de 16,6%, enquanto que no ano passado esse índice saltou para 23,1%.

Um indicador desta evolução foi a queda na proporção de seguradoras com prejuízo: de 27% em 2004, para 18% em 2005. A taxa média de rentabilidade do ano passado foi de 12,5%, ante os 7,9% registrados em 2004.

A força do setor de seguros pode ser medida por sua participação no PIB nacional: 3,41% em 2005. As seguradoras que operam no Brasil faturaram no ano passado mais de R$ 30,8 bilhões, isso sem contar o total obtido com VGBL e Seguro Saúde. Acrescentando-se esses dois dados, o faturamento das seguradoras salta para R$ 50,98 bilhões.

Só o ramo de seguros para automóveis, que é o principal filão do setor, faturou mais de R$ 14 bilhões em 2005.

RANKING

O ranking geral do ano passado fechou novamente com a Bradesco Seguros no topo, seguida pela Sul América e AIG-Unibanco, desconsiderando VGBL e Saúde, somando mais de R$ 10 bilhões em valores e concentrando mais de 34% da fatia do bolo.

No ramo de Automóveis, a liderança também pertence à Bradesco Seguros, seguida pela Porto Seguro e Sul América. Juntas as três dominam 47% do mercado.

No ramo Patrimonial, a AIG-Unibanco se mantém no primeiro lugar, com 27,73% do mercado. O segundo e terceiro lugares continuam com Itaú e Bradesco Seguros, respectivamente, que somam mais de 19% de participação.

PREVISÃO PARA 2006

O estudo do Sincor-SP prevê um faturamento US$ 30 bilhões para este ano. “Boa parte do crescimento deve ser creditada à variação cambial que mantém o dólar baixo, fato que pode deixar o país entre os vinte maiores no mercado mundial de seguros”, avalia Leoncio de Arruda, presidente do Sincor-SP.

Fonte: Centro de Qualificação do Corretor de Seguros