Brasileiro é o que mais teme falta de dinheiro na velhice

03/05/2006

O brasileiro é o povo que mais se preocupa com a falta de dinheiro na velhice. Mas é um dos que menos poupam para uma aposentadoria tranqüila. É o que aponta o estudo "O Futuro da Aposentadoria: O que o mundo quer", promovido pelo HSBC, em 20 países, com 21 mil pessoas e 6 mil empregadores.

No Brasil, 76% das 1.001 pessoas entrevistadas disseram estar preocupadas com a falta de condições financeiras na velhice. Mas apenas 6% afirmaram ter feito algum investimento no ano passado especificamente para sua aposentadoria.

Outro dado surpreendente foi que 30% das pessoas ouvidas no País acreditam que elas mesmas devem arcar com a maior parte dos custos de sua futura aposentadoria. De acordo com Marcelo Teixeira, chief executive officer (CEO) da HSBC Seguros, um dos motivos para o fortalecimento dessa idéia entre os brasileiros é a falta de confiança no governo. "Embora a grande maioria - 52% dos entrevistados - continue pensando que o governo deveria sustentar a maior parte de sua aposentadoria, apenas 33% acreditam que isso ocorrerá", comenta Teixeira.

A pesquisa do HSBC indica ainda que, a exemplo do restante do mundo, os brasileiros rejeitam os mecanismos tradicionais que os governos impõem para financiar suas aposentadorias. Postos diante de opções como arcar com mais impostos, receber benefícios menores, trabalhar mais e pagar poupança compulsória, na forma de contribuição privada obrigatória, 53% dos entrevistados optaram pela poupança compulsória para o financiamento da aposentadoria. Nos demais países, esse porcentual é, em média, de 36%.

"Isso mostra que as pessoas querem que os governos façam mais para ajudá-los na velhice. Elas estão fazendo um apelo: ajude-nos a nos ajudar", comenta o CEO da HSBC Seguros. "Os trabalhadores preferem pagar por sua aposentadoria por meio da poupança adicional privada a recolher mais impostos ou receber pensões menores", complementa Teixeira.

O estudo do HSBC não deixa claro a partir de que faixa de renda as pessoas estão dispostas a pagar mais para obter uma renda maior na velhice. "No Brasil, os trabalhadores estão iludidos com a falsa proteção da Previdência Social", afirma o presidente da Associação Nacional de Previdência Privada (Anapp), Osvaldo Nascimento.

Teixeira, do HSBC, orienta a quem pretende ter uma renda maior na aposentadoria a fazer uma poupança por conta própria. "O trabalhador tem de responder à seguinte pergunta: 'Quem vai financiar o meu sonho?' Se os recursos do governo não forem suficientes, há necessidade de fazer a poupança.”

Fonte: Anapp