Cuidados com seguro e previdência

16/05/2006

A preocupação com a família faz com que muitas mulheres coloquem na lista de prioridade a compra de seguros de vida e previdência privada. Alguns gerentes de banco afirmam que as mulheres chegam a representar 43% da carteira de clientes de previdência.

A funcionária pública Marlene Vasconcelos tem três filhas. A mais velha completou 26 anos e já está organizando seu próprio orçamento. Ainda assim, Marlene paga atualmente três seguros de vida que garantem algum dinheiro às meninas caso venha a falecer. "Eu me preocupo porque tudo hoje em dia é muito difícil", afirma. Os seguros feitos por Marlene servem para o casal. "Meu marido já foi atrás, mas largou achando que estava perdendo dinheiro", conta. Para conseguir pagar as três apólices, Marlene conta que é preciso "apertar" o orçamento. "Tem que apertar em tudo: gasolina, energia", cita.

Preocupações como as de Marlene fizeram com que os bancos desenvolvessem produtos voltados especialmente para elas. São seguros residenciais, de vida, de carro e previdência privada. O gerente de marketing da Caixa Econômica Federal (CEF), Fábio Gama Alcuri, afirma que da carteira de previdência da Caixa, 43% dos clientes são mulheres.

Alcuri afirma que há algum tempo eram os homens que iam ao banco e levavam as propostas para serem analisadas junto às esposas. Hoje, elas vão e decidem lá mesmo. De um modo geral, os produtos voltados para as mulheres oferecem garantias que se estendem à família. De acordo com o gerente de marketing, pesquisas indicam a necessidade que a mãe tem de resguardarem a proteção da família. "Ela pensa o que pode fazer para deixar a família tranqüila, automaticamente ela fica tranqüila e protegida", defende.

Para o gerente negocial da superintendência de Varejo do Banco do Brasil - Ceará, Henrique Sérgio Macambira, a maior procura das mães gira em torno do seguro de vida. No entanto, ele acredita que quando ela passa a ter consciência de um seguro, já começa a pensar em outros tipos. "As mulheres, por estarem cada vez mais no mercado, participando cada vez mais do dia a dia, têm sensibilidade muito maior para perceber as mudanças e necessidades", afirma.

Além dos produtos voltados para as mães, alguns serviços apresentam preços diferenciados quando o cliente é uma mulher. Quando o assunto é seguro de automóvel, bancos ou seguradoras oferecem tarifas mais baixas para as mulheres. Para os seguradores, dificilmente uma batida causada por uma mulher terá danos tão grandes como a batida causada por um homem. Macambira afirma que no Banco do Brasil as reduções podem ser da ordem de 40% quando a segurada é uma mulher.

Fonte: Segs