Copom provoca alta do juro ao consumidor

20/10/2004

A taxa média de juros cobrada nas linhas de crédito para o consumidor teve um aumento de 0,79%. Em agosto era de 7,59% e em setembro passou para 7,65%, de acordo com pesquisa da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac). O aumento é atribuído à alta dos juros básicos na última reunião do Copom. Como o governo pode elevar novamente a taxa Selic na quarta-feira, dia 20, é provável que ocorram novos aumentos.

O levantamento mostra que a alta se deve principalmente pelo aumento da taxa média mensal de juro cobrada no cheque especial e no empréstimo pessoal, realizado pelas financeiras. No caso do cheque especial, a taxa avançou de 7,76% para 8,26% de agosto para setembro.

Nas financeiras, a taxa média dos empréstimos passou de 12,07% para 12,15% no mesmo período.

Estabilidade - Outra pesquisa, do Procon-SP, com dez instituições financeiras, entre 5 e 6 de outubro, indicou que apenas uma dessas alterou a taxa de empréstimo pessoal. Nas taxas de cheque especial não houve mudança.

A taxa média dos bancos pesquisados quanto a empréstimo pessoal ficou em 5,19% ao mês, superior à de setembro (5,14% ao mês).

No cheque especial a taxa manteve-se em 7,99% ao mês, sem alteração frente ao mês anterior. Este é o terceiro mês consecutivo sem alteração nas taxas de juros do cheque especial.

Os dados coletados referem-se a taxas máximas prefixadas para clientes não preferenciais. No caso do cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

Fonte: TPT Comunicação Ltda.