Cresce a participação das mulheres no mercado de cartões

05/07/2006

O volume de compras das mulheres portadoras de cartões de crédito cresceu 29,8% em 2005, somando R$ 57,9 bilhões, acima da média de crescimento do mercado, que foi de 27,1%, somando R$ 127,6 bilhões. O avanço da participação feminina se dá também no número de plásticos: ao final de 2005, havia 33,1 milhões de cartões de crédito em mãos de mulheres, número que corresponde a praticamente metade dos plásticos em circulação no mercado brasileiro (66,7 milhões ao final de 2005). Com participação crescente a cada ano tanto em volume de compras quanto em cartões, as mulheres estão na linha de frente da expansão do mercado brasileiro de cartões de crédito. Os dados constam do estudo exclusivo Mulheres e o Cartão de Crédito realizado pela Credicard.

Em 2004, as mulheres respondiam por 44,4% - R$ 44,6 bilhões - do volume total de compras com cartão de crédito do mercado, de R$ 100,4 bilhões. Ao final de 2005, passaram a responder por 45,4% do mercado, somando R$ 57,9 bilhões em compras – um crescimento de 29,8%, acima do crescimento de 27,1% do mercado. O volume total de transações do mercado brasileiro de cartões passou de R$ 100,4 bilhões em 2004 para R$ 127,6 bilhões em 2005.

O crescimento do número de plásticos em mãos de mulheres em 2005 também superou o crescimento do mercado: foi de 30,4% contra 26,6% do mercado. Em 2004, as mulheres detinham 25,4 milhões de cartões, ou 48,2% do total (o total de cartões em circulação no ano era de 52,7 milhões). Em 2005, as mulheres passaram a deter 33,1 milhões de cartões, correspondentes a 49,6% do mercado total, de 66,7 milhões de cartões.

O valor médio de compra (tíquete médio) das mulheres foi de R$ 81 em 2005, com crescimento de 7,1% sobre o tíquete médio de 2004, de R$ 76. No que se refere a compras pela internet, homens e mulheres portadores de cartões se equiparam, segundo pesquisa da Credicard realizada com portadores de cartão de crédito: entre os que acessam a internet, 63% costumam realizar compras com cartão de crédito, sendo que 38% das mulheres têm computador em casa, contra 43% dos homens.

Outro dado em que não há diferenças significativas entre homens e mulheres refere-se à distribuição dos portadores de cartões nas regiões do país. Ambos se concentram na região Sudeste. O perfil das mulheres portadoras de cartão por região é o seguinte: Sudeste, 75,4%; Norte/Nordeste, 11,3%; Centro-Oeste, 8,7%; Sul, 4,5%. Já a distribuição regional dos homens é a seguinte: Sudeste, 73,8%; Norte/Nordeste, 10,8%; Centro-Oeste, 5,8%; Sul, 9,3%.

Proporcionalmente, número de mulheres com cartão de crédito é maior

Pesquisa da Credicard entre portadores de cartão de crédito da população adulta do país revela também que o número de mulheres com cartão de crédito é proporcionalmente maior que o de homens: 41% das mulheres possuem cartão, contra 31% dos homens. Em relação à bancarização, a população feminina é menos bancarizada: 84% das mulheres possuem conta em banco, contra 87% dos homens.

Meio preferido de financiamento
 
Mais acessível e prático, o cartão de crédito é o meio preferido de financiamento das compras entre homens e mulheres, em comparação com outros meios de financiamento como crediário, crédito pessoal e cheque especial. Entre as mulheres, porém, o cartão é mais importante como instrumento de crédito: 64% financiam suas compras exclusivamente no cartão de crédito, segundo a pesquisa realizada pela Credicard entre portadores de cartão (contra 60% dos homens). Entre as razões para essa preferência, além das vantagens e da praticidade do cartão, estão o menor poder aquisitivo e a menor bancarização da população feminina em geral, que dificultam o acesso a outros meios de financiamento.

Evolução das mulheres na PEA*
* Fonte IBGE PNAD 2004. PEA – População economicamente ativa, urbana, 15 anos e mais, todas as fontes de rendimento. Total da PEA no país = 74,81 milhões

Na análise da participação da mulher no cenário econômico nacional, o estudo da Credicard constata que, embora a participação das mulheres na população economicamente ativa (PEA) esteja crescendo – aumentou 6,7% em 2004, enquanto a participação dos homens cresceu 5,1% - a renda das mulheres é menor: 71,6% possuem renda mensal inferior a R$ 500, contra 55,3% dos homens (segundo dados IBGE PNAD). As mulheres representam 44% do total da PEA (33,1 milhões).

Entre 2001 e 2004, contudo, houve uma evolução positiva: a renda mensal das mulheres aumentou. A migração foi maior da faixa até R$ 299 para a faixa entre R$ 300 e R$ 499. Em 2001, 61,2% das mulheres da PEA ganhavam até R$ 299; em 2004, esse percentual caiu para 49,8%. Em contrapartida, na faixa de R$ 300 a R$ 499 o percentual passou de 17,1% em 2001 para 21,8% em 2004.

É interessante notar que há mais mulheres do que homens com formação superior: na PEA há 2,8 milhões de mulheres com curso superior completo para 2,1 milhões de homens.

A contribuição das mulheres na renda familiar é maior nos extremos das faixas de renda. Na faixa inferior, por exemplo, de renda mensal entre R$ 300 e R$ 499, a participação da renda individual das mulheres portadoras de cartão na renda familiar é de 100%, percentual igual ao dos homens, o que significa que nessa faixa há apenas uma fonte de renda, correspondente ao chefe de família. Na faixa máxima, acima de R$ 6 mil mensais, a renda individual das mulheres também tem peso significativo na renda familiar – 57% contra 67% dos homens –, provavelmente pelo fato das mulheres desse segmento serem mais escolarizadas.

Utilização do cartão por ramo de consumo
 
O estudo compara os ramos de utilização do cartão de crédito por homens e mulheres e revela em que segmentos as mulheres têm o hábito de utilizar mais o cartão para compras do que os homens.

Veja a seguir as diferenças entre homens e mulheres:

Em comparação com os homens, as mulheres utilizam mais o cartão nos ramos:

  • Farmácias
  • Lojas de Departamento
  • Perfumarias
  • Roupas
  • Calçados

A diferença é maior principalmente nos ramos Perfumaria, Calçados, Lojas de Departamento e Roupas.

Em comparação com as mulheres, os homens utilizam mais o cartão nos ramos:

  • Supermercados
  • Restaurantes
  • Hotéis
  • Postos de Serviços

Fonte: Comunique-se