Pesquisa da Fundação Procon-SP revela pequena queda na taxa média de juros

21/08/2006

A Fundação Procon-SP realizou em dez instituições financeiras, no dia 1º de agosto, pesquisa de taxas de juros de empréstimo pessoal e cheque especial para pessoa física. Os bancos pesquisados foram HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.

Empréstimo Pessoal - a taxa média dos bancos pesquisados foi de 5,36% a.m., inferior à do mês anterior, que foi de 5,37% a.m., significando um decréscimo de 0,01 ponto percentual.

As quedas verificadas nas taxas de empréstimo pessoal foram:

  • Banco do Brasil – alterou de 4,80% para 4,76% a.m. - decréscimo de 0,04 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,83% em relação à taxa de julho/06;
  • Bradesco – alterou de 5,67% para 5,63% a.m. - decréscimo de 0,04 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,71% em relação à taxa de julho/06;
  • HSBC – alterou de 4,82% para 4,80% a.m. - decréscimo de 0,02 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,41% em relação à taxa de julho/06.

As demais instituições financeiras da amostra não alteraram suas taxas no empréstimo pessoal.

Cheque Especial - a taxa média dos bancos pesquisados foi de 8,17% a.m., inferior à do mês anterior, que foi de 8,18% a.m., significando um decréscimo de 0,01 ponto percentual.

As quedas verificadas nas taxas de cheque especial foram:

  • Banco do Brasil – alterou de 7,85% para 7,81% a.m. - decréscimo de 0,04 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,51% em relação à taxa de julho/06;
  • Bradesco – alterou de 8,13% para 8,09% a.m. - decréscimo de 0,04 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,49% em relação à taxa de julho/06;
  • Banespa – alterou de 8,40% para 8,38% a.m. - decréscimo de 0,02 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,24% em relação à taxa de julho/06;
  • Santander – alterou de 8,40% para 8,38% a.m. - decréscimo de 0,02 ponto percentual - representando uma variação negativa de 0,24% em relação à taxa de julho/06.

As demais instituições financeiras da amostra não alteraram suas taxas no cheque especial.

Considerando que existe a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Vale lembrar que os dados coletados referem-se às taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais sendo que, para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

A pesquisa aponta que, em relação ao mês passado, um maior número de bancos da amostra reduziu suas taxas, porém as quedas foram tímidas. Tanto no empréstimo pessoal, quanto no cheque especial, a queda da taxa média foi de apenas 0,01 ponto percentual.

Na última reunião do COPOM – Comitê de Política Monetária do Banco Central – ocorrida nos dias 18 e 19 de julho, a taxa Selic caiu de 15,25% para 14,75% ao ano. Apesar de mostrar um cenário econômico otimista, o Banco Central deu sinais que haverá mais cautela em relação às novas quedas da taxa básica.

Para o consumidor final de crédito, os juros continuam altos. Por essa razão, é necessário organizar sua vida financeira e definir prioridades para não comprometer demais seu orçamento. Caso seja absolutamente necessário contratar um empréstimo, deve evitar os de longo prazo que embutem custos maiores. Deve evitar, principalmente, o rotativo do cartão de crédito e o cheque especial, cujas taxas estão entre as mais altas do mercado.

OBS: A variação % é usada para refletir os acréscimos ou reduções das taxas de juros bancárias (cheque especial e empréstimo pessoal), sempre tomando por base 100.

Já o p.p. (ponto percentual) é a diferença entre as taxas, como são representadas por %, a diferença é definida em pontos percentuais. Caso fosse em reais, a diferença seria representada em reais.

Fonte: Procon-SP