Banco Nossa Caixa reduz juros para crédito imobiliário

26/05/2009
Brasília - O Banco Nossa Caixa reduziu de 11% para 8,9% ao ano a taxa mínima pós-fixada para financiamento de aquisição ou construção de imóvel residencial, nas condições do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), em que o valor máximo da unidade é de R$ 500 mil. A taxa máxima nessas operações caiu de 11,50% para 10% ao ano. Os juros ficaram menores também nos financiamentos de imóveis acima de R$ 500 mil e no casos de reformas. No plano com reajuste, as taxas baixaram de 12,5% para 12% ao ano e, no plano prefixado, caíram de 16% para 15,08%. Em qualquer dos casos de financiamento, as taxas de juros são definidas de acordo com o valor do imóvel e o prazo para quitação. As informações são do diretor de Produtos da Nossa Caixa, Gueitiro Matsuo Genso. Ele disse que, com as medidas, a instituição acompanha o Banco do Brasil, controlador da Nossa Caixa, que ontem (25) anunciou a redução de juros para nove modalidades de crédito para pessoa física, menos no segmento imobiliário Com o ajuste, a Nossa Caixa posiciona suas taxas de crédito imobiliário entre as menores do mercado, igualando-as aos juros praticados pelo BB, com a expectativa de crescer cerca de 25%, este ano, na concessão de crédito imobiliário para pessoas físicas. Gueitiro Genso estimou que as aplicações totais cheguem a R$ 450 milhões, contra R$ 358 milhões no ano passado. A Nossa Caixa ampliou, ainda, o prazo de pagamento no plano prefixado de 15 para 20 anos e baixou de R$ 25 para R$ 22 a tarifa mensal de administração para todos os novos contratos de empréstimo habitacional. O interessado em financiar um imóvel pode optar pelo plano com reajuste (taxa pós-fixada) ou pelo pagamento com taxa prefixada. No primeiro caso, as parcelas e o saldo devedor sofrem correção pela taxa referencial (TR), enquanto no segundo caso as prestações são fixas e o saldo devedor não sofre correção. No plano com reajuste, o prazo máximo de pagamento permanece em 25 anos e a garantia exigida nas operações é a alienação fiduciária do imóvel. Os juros, já reduzidos, são de 8,9% ao ano para imóvel de até R$ 120 mil e de 10% ao ano para unidade avaliada entre R$ 120 mil e R$ 500 mil. O limite de financiamento é de 80% do valor do imóvel. Se o mutuário for servidor público, os juros são de 8,9% para imóvel de qualquer valor até R$ 500 mil e o limite de financiamento sobe para 90% do valor do imóvel. No plano de financiamento com taxa prefixada, a taxa, em maio, é de 12,835% ao ano, tanto para clientes como para servidores públicos. O valor máximo que pode ser financiado é de 80% para clientes e de 90% para servidores. Para pagamento, o prazo é de até 20 anos e a garantia exigida em todas as operações é a alienação fiduciária do imóvel. No caso de imóveis acima de R$ 500 mil, a Nossa Caixa financia com taxa de 12% ao ano, no plano com reajuste, tanto para clientes quanto para servidores públicos, com pagamento em até 25 anos. No plano com taxa prefixada, o financiamento fica mais caro, com juros de 15,08% ao ano e quitação em 20 anos. Já no plano com taxa prefixada da linha com taxa de mercado, o juro foi unificado em 15,08% para clientes e servidores públicos. Como resultado, houve queda de 0,92 ponto porcentual para clientes, que antes pagavam 16% ao ano, e de 0,42 ponto porcentual para servidores, para quem a taxa anterior era de 15,5% ao ano. Clientes podem financiar até 80% do valor do imóvel e servidores têm limite de financiamento de até 90%. O prazo para quitação é de até 20 anos. Os financiamentos da Nossa Caixa se destinam a imóveis localizados no estado de São Paulo e nas cidades onde a instituição tem agências (Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Londrina, Rio de Janeiro e Uberlândia). Os interessados podem fazer simulação de financiamentos pelo site do banco (http://www.nossacaixa.com.br).

Fonte: Agência Brasil