Juro médio do cheque bate recorde

29/12/2004

Pesquisa realizada pelo Procon-SP mostra que os bancos mexeram pouco nas taxas nos últimos dias. Em dezembro, a taxa média do cheque especial bateu recorde e atingiu 8,06% ao mês (era de 7,99% em novembro), o equivalente a 153,47% ao ano. No empréstimo pessoal, a taxa média ficou em 5,22% ao mês (84,09% ao ano), pouco abaixo da verificada no mês anterior, de 5,25% ao mês.

A alta do cheque especial foi impulsionada pelas alterações feitas por três das dez instituições pesquisadas – a maior variação foi de pouco mais de 5%. Já a do empréstimo pessoal esboçou uma pequena queda, puxada pela redução em 10% promovida por um dos bancos. Outra instituição também diminuiu sua taxa, mas em apenas 0,01 ponto porcentual, sem reflexo no quadro geral. A redução só não foi maior porque dois bancos aumentaram suas taxas – um em 1,62% e outro, em 2,23%, em relação às de novembro.

No cheque especial, a menor taxa encontrada foi de 7,33% ao mês e a maior, de 8,40%. Já as taxas do empréstimo pessoal variaram entre R$ 4,10% e 5,70% ao mês.

Para o Procon, é importante que o consumidor faça um planejamento orçamentário minucioso para não perder o controle dos gastos nessa época, quando o clima de festa induz a comprar mais e a contrair empréstimos para realizar novos e antigos sonhos.

Apesar das pequenas alterações verificadas pela pesquisa, o cenário é de um discreto movimento de alta. Na reunião de novembro, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central confirmou a intenção de não comprometer a meta de inflação de 5,1% para 2005 e aumentou a taxa básica de juros, a Selic, de 16,75% para 17,25% ao ano. E agora em dezembro voltou a elevar a Selic, de 17,25% para 17,75%.

Fonte: TPT Comunicação Ltda.