Juros do crédito chegam ao menor patamar desde dezembro de 2007

28/07/2009
Brasília - As taxas de juros cobradas nas operações de crédito caíram em junho e a inadimplência das famílias ficou estável, enquanto das empresas subiu, segundo dados divulgados hoje (28) pelo Banco Central. A taxa geral (pessoas físicas e jurídicas) chegou a 36,7% ao ano, o menor patamar desde dezembro de 2007 (33,8% ao ano). Na comparação com maio, houve redução de 12 pontos percentuais e de 6,6 pontos percentuais no primeiro semestre. Os juros anuais médios cobrados de pessoas físicas passaram de 47,3% em maio para 45,6% em junho deste ano. No primeiro semestre, a taxa teve diminuiu 2,3 pontos percentuais. A taxa do cheque especial paasou de 167,8% ao ano para 167% ao ano. No caso do crédito pessoal, que inclui operações consignadas em folha de pagamento, o recuou foi de 1 ponto, de maio para junho (de 46,6% para 45,6%, na média anual). A taxa do crédito para a compra de carro também passou de 29,2% ao ano em maio para 26,9% anuais em junho. No caso das empresas (pessoas jurídicas), a taxa média caiu 1 ponto percentual, passando de 28,5% para 27,5% ao ano, de maio para junho de 2009. No primeiro semestre, a redução da taxa para as empresas foi de 3,2 pontos. Os dados do Banco Central mostram que a inadimplência para as famílias ficou estável em 8,6% em relação a maio. No caso das empresas, houve aumento da inadimplência de 3,2% para 3,4%. A taxa total de inadimplência subiu de 5,5% para 5,7%. A inadimplência corresponde ao atraso de pagamento superior a 90 dias. Edição: Tereza Barbosa

Fonte: Agência Brasil / Repórter: Kelly Oliveira