Preços gerais da economia têm alta de 0,25% em setembro

06/10/2009
Rio de Janeiro - O Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) teve alta de 0,25% em setembro. O resultado foi superior ao do mês anterior, quando houve leve elevação de 0,09%. No ano, o índice acumula queda de 1,35% e nos últimos 12 meses encerrados em setembro, de 0,65%. Os dados foram divulgados hoje (6) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). No atacado, os preços subiram em média 0,29%, mais do que em agosto (0,07%). Houve alta nas taxas dos bens finais (de 0,38% para 0,70%), com a contribuição de alimentos processados (de –0,58% para 2,52%), e dos bens intermediários (de 0,38% para 0,53%), influenciados pelos materiais e componentes para a construção (de 0,05% para 0,60%). No caso das matérias-primas brutas (de –0,86% para –0,71%), o índice permanece em queda, porém, em processo de recuperação de preços. As maiores pressões vieram do minério de ferro (de –7,07% para –2,29%), arroz em casa (de –2,35% para 5,23%) e da cana-de-açúcar (de 1,45% para 3,33%). Outro componente do IGP-DI, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve alta de 0,18%, menos intensa do que em agosto (0,20%). A principal contribuição para o movimento partiu de alimentação, cuja taxa passou de 0,40% para –0,11%, influenciada especialmente pelos preços das hortaliças e legumes (de 3,35% para 0,74%), das frutas (de 7,64% para 4,92%) e dos laticínios (de –3,60% para –5,00%). Também houve decréscimo na taxa de educação, leitura e recreação (de –0,01% para –0,02%), com a contribuição de passagem aérea (de 1,97% para –4,12%). Houve alta em vestuário (de –0,98% para 0,42%), despesas diversas (de –0,02% para 0,80%), habitação (de 0,34% para 0,41%), saúde e cuidados pessoais (de 0,03% para 0,06%) e transportes (de 0,21% para 0,24%). Último componente do IGP-DI, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou em setembro elevação de 0,15%, depois de ter apresentado queda de 0,05% um mês antes. A contribuição partiu de materiais e equipamentos (de –0,38% para 0,15%). Já as taxas dos grupos serviços (de 0,30% para 0,26%) e mão de obra (de 0,15% para 0,12%) tiveram decréscimo de agosto para setembro. Para calcular o IGP-DI de setembro, foram coletados preços entre os dias 1º e 30 do mês de referência. O índice mede o comportamento de preços em geral da economia brasileira. Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil / Repórter: Thais Leitão