Vendas no varejo crescem pelo sexto mês consecutivo

15/12/2009
Rio de Janeiro - As vendas no comércio varejista completaram em outubro seis meses de resultado positivo. Em relação a setembro, a alta verificada foi de 1,4%, o maior índice desde junho, quando houve elevação de 1,7%. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o aumento foi de 8,4%. Os dados da Pesquisa Mensal de Comércio foram divulgados hoje (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e também revelam que, no período de janeiro a outubro, o comércio varejista acumula alta de 5,1% e nos últimos 12 meses, de 5,0%. A receita nominal de vendas no comércio também teve alta nos dois tipos de comparação. Em relação a setembro, o crescimento foi de 1,8%. Na comparação com outubro de 2008, a expansão foi de 11,5%. Em relação a setembro, nove das dez atividades pesquisadas apresentaram variação positiva nas vendas. Os destaques foram artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,5%); tecidos, vestuário e calçados (1,9%); e livros, jornais, revistas e papelaria (1,8%). O resultado negativo foi verificado em veículos e motos, partes e peças (-15,8%). Na comparação com outubro de 2008, todas as atividades pesquisadas tiveram resultado positivo nas vendas. O destaque ficou com o segmento de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que apresentou alta de 12,2%. O documento do IBGE ressalta que o resultado, acima da média, pode ser explicado pelo “aumento do poder de compra da população, decorrente do crescimento da massa de rendimento real habitual dos ocupados, além da estabilização dos preços do setor, que evoluíram no acumulado dos últimos 12 meses em 1,4% no grupo alimentação no domicílio, ficando abaixo da inflação global medida pelo IPCA [Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo], 4,2%”. Também apresentaram expansão significativa, ainda na comparação com outubro do ano passado, outros artigos de uso pessoal e doméstico (9,1%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (11,3%). O levantamento revela ainda que as vendas do comércio varejista ampliado – que inclui veículos e motos, partes e peças e material de construção – registraram queda de 2,6% na comparação com setembro. Em relação ao mesmo período do 2008, houve alta de 11,2%. Incentivado pela política de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o setor de veículos e motos e peças, cujas vendas foram afetadas a partir do último trimestre de 2008 pelas restrições de crédito, apresentou expansão de 20,0% em relação a outubro do ano passado. Na comparação com setembro, houve queda de 15,8%. As vendas de material de construção caíram 4,5% em relação a outubro do ano passado, mas inverteram a queda de 1,2% observada um mês antes e tiveram alta de 0,8% em outubro. Alterada para acréscimo de informações // Edição: Juliana Andrade

Fonte: Agência Brasil / Repórter: Thais Leitão