Seguro de vida é o mais procurado

31/01/2005

O seguro pessoal segue sendo o ramo mais importante do País, com 45% do total de apólices vendidas. Esse resultado é puxado principalmente pelos seguros acoplados ao plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Por ele, o interessado faz uma poupança completar à aposentadoria e, junto, um seguro de vida, para qualquer eventualidade que ocorra durante o período de acumulação de recursos. O crescimento desse mercado em 2004 superou a inflação.

Com as mudanças na tributação dos fundos, incluindo os de previdência, e novas exigências para que os investidores se beneficiem de incentivos fiscais, o quadro verificado até o ano passado pode não se repetir agora em 2005 - os dados da Superintendência de Seguros Privados ainda não saíram.

O segundo seguro mais feito pela população em volume de recursos (33% do total) é o de automóveis, seguido do patrimonial (10%). As demais modalidades somam 12%. Em 2004, até outubro (último dado disponível) o mercado segurador cresceu a taxa superior a 20%, contabilizando faturamento de R$ 29,5 bilhões em prêmio (o valor pago por quem faz o seguro).

Como o crescimento do grupo vida está bastante vinculado ao VGBL, é importante saber como ele funciona nesse caso: do dinheiro que você aplica, uma parte vai ser guardada e render, para, quando necessitar - em caso de alguma emergência, mudança de planos ou no momento da aposentadoria, você poder sacar todo o dinheiro guardado de uma vez ou em parcelas. Outra parte é um seguro de vida comum, que não volta mais, exceto em caso de acidente que provoque invalidez ou morte. Assim, nem todo o valor que você aplica no VGBL será remunerado ou voltará ao final do plano, exceto no caso do já referido acidente.

Fonte: TPT Comunicação Ltda.