Crédito pessoal puxa empréstimos

11/02/2005

O volume de novas concessões de empréstimos deve fechar janeiro em R$ 30,8 bilhões, uma alta de 6% em relação ao mesmo período de 2004. Duas modalidades têm destaque: o crédito pessoal e o financiamento de veículos. O primeiro apresentou o melhor desempenho no mês - o saldo deve totalizar R$ 44,7 bilhões. O resultado é reflexo da regulamentação que autorizou o desconto em folha. Esse tipo de crédito pessoal oferece maior garantia para quem financia, com prazos mais longos e taxas menores para os consumidores. O total de concessões deve chegar a R$ 5,3 bilhões.

Já o empréstimo para compra de veículo representa um terço do total e deve fechar o mês com saldo de R$ 39,1 bilhões. As concessões devem chegar a R$ 2,9 bilhões. Segundo a Partner, empresa que fez o levantamento a partir de informações do Banco Central, os números demonstram o movimento do mercado, com procura e oferta aquecidas, em um cenário de alongamento de prazos, agilidade na concessão de financiamento e parcerias entre as montadoras e as instituições financeiras.

A tendência dessa modalidade é de crescimento, impulsionada pela venda de automóveis novos. De acordo com a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras, cerca de 40% do total de veículos vendidos dependem de algum tipo de financiamento.

A linha de cheque especial cresceu quase 5% em janeiro, mas sua participação total vem caindo pela migração para outras modalidades, como o crédito pessoal e o cartão de crédito - de 12% em 2003, baixou para 9% em 2005. Mais gente sai desse tipo de crédito do que entra, ao contrário de outros tipos de financiamento: as concessões devem totalizar R$ 14,7 bilhões e o saldo, R$ 10,4 bilhões.

Fonte: TPT Comunicação Ltda.