Teste ajuda a escolher seguro residencial

22/04/2005

Teste comparativo divulgado pela Pro Teste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - mostra que quem vai fazer um seguro residencial deve analisar diversas variáveis, como prêmio, cobertura, exclusões. Entre as 14 seguradoras pesquisadas, que representam mais de 80% do mercado, o prêmio, valor que se paga pelo seguro, variou quase 500%. Como o seguro exigido por lei para as edificações em condomínio significa que as áreas comuns estão cobertas, mas não o seu imóvel, vale a pena avaliar as opções disponíveis, de acordo com o perfil do imóvel e o valor segurado. Confira abaixo as orientações da Pro Teste e o resultado da avaliação.

Vistoria prévia - A vistoria sempre é útil no seguro de conteúdo, porque as pessoas geralmente não guardam notas fiscais do que possuem. No seguro residencial, a cobertura básica inclui incêndio, raios e explosão, comumente considerados como uma única cobertura. Algumas empresas cobram franquia nesta cobertura, em geral de 10% do valor da indenização. Outras cobram um valor mínimo de indenização. Na avaliação da Pro Teste, receberam as melhores notas as empresas que não cobram franquia, nem estabelecem esse limite mínimo.

Coberturas - Um tipo interessante de cobertura é a de roubo e furto. A diferença entre os dois crimes é que no roubo há violência ou ameaça contra a pessoa e no furto, não. Leia bem a apólice: muitas só cobrem o roubo ou furto qualificados, quando há invasão por arrombamento ou chave falsa. Isso deixa muitos casos de fora, sem indenização. Veja também se o seguro cobre prejuízos causados por pessoa próxima ao segurado, como cônjuge, filhos, empregados. Nesse quesito, o segurado deve dar preferência também aos que não cobram franquia, nem valor mínimo de indenização.

Na cobertura contra vendaval e granizo, quase todas as seguradoras pesquisadas cobram franquia. É possível fazer seguro para a privação temporária do uso de habitação, que pode garantir o pagamento de um aluguel, se necessário. No seguro contra desmoronamento não estão incluídos alguns itens, como desabamento de telhas e alguns elementos arquitetônicos.

Para garantir o pagamento de danos a terceiros, causados pelo segurado ou por pessoas ou animais sob sua responsabilidade, é possível fazer uma cobertura de responsabilidade civil. Atenção: pessoas próximas, como filhos e empregados, não são consideradas terceiros, veja bem o que está escrito na apólice.

Exclusões - Algumas seguradoras colocam exclusões para diminuir o risco. As mais comuns são atos de hostilidade, perdas por desgaste natural ou uso, inundação por água do mar e terrorismo. Duas práticas são condenadas pela Pro Teste: a cobrança de uma taxa administrativa e da exclusão de danos causados por alagamento por chuvas ou inundação de rios, bastante comuns em um país cortado por rios, além do uso de termos subjetivos nas exclusões, como tumulto, que podem levar a seguradora a querer se isentar na hora de indenizar.

Para um apartamento de alvenaria na Vila Clementino (SP), de R$ 230 mil e R$ 20 mil de conteúdo, o melhor preço ficou em R$ 591,43 anuais. Um apartamento de alvenaria em Botafogo (RJ), com prédio segurado por R$ 160 mil e conteúdo de R$ 20 mil teve como melhor preço de seguro R$ 433,38.

Para quem tem casa de veraneio em madeira e alvenaria na praia de Pernambuco, no Guarujá (SP) a pesquisa encontrou como melhor preço R$ 505,05 (R$ 113 mil o prédio e conteúdo de R$ 7 mi)l. Em Porto Alegre (RS), para um prédio de R$ 180 mil e conteúdo de R$ 20 mil, o menor prêmio ficou em R$ 811,88.

Para segurar um apartamento de R$ 95 mil e conteúdo de R$ 5 mil em Boa Viagem, Recife (PE), a melhor escolha foi a de um prêmio anual de R$ 108,53.

Fonte: TPT Comunicação Ltda.