Firjan inicia hoje Dieta do Impostão

19/08/2010
Rio de Janeiro - A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) inicia hoje (19) em todo o país a campanha Dieta do Impostão. Segundo a diretora de Desenvolvimento Econômico da entidade, Luciana de Sá, o objetivo da campanha é “conscientizar a população de que dentro dos produtos há uma carga tributária e de que a sociedade deve exigir dos candidatos que o assunto seja abordado nas campanhas.

Pesquisa divulgada pela Firjan revela que 85,1% dos brasileiros consultados consideram importante a inclusão da questão tributária nas campanhas eleitorais deste ano. Foram realizadas 2.482 entrevistas nas seis principais regiões metropolitanas do país (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Recife, Porto Alegre e Salvador).

Outra conclusão é de que a carga tributária é percebida como muito alta por mais de 95% da população. A pesquisa Impactos dos Tributos sobre a População mostra ainda que o percentual sobe para 97,1% quando os entrevistados comparam a arrecadação de impostos com a qualidade dos serviços prestados pelo governo. “A maioria acha que a carga é elevada vis-a-vis o que se recebe em troca. Não é só uma questão de que paga-se muito. Paga-se muito e recebe-se pouco”, afirmou a diretora da Firjan.

Luciana de Sá informou que a carga tributária existente no Brasil equivale a cerca de 37% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma dos bens e serviços produzidos no país. Entre as pessoas ouvidas, 89,2% defenderam a redução da carga de impostos.

Considerando uma redução da carga que implicasse aumento de 5% na renda disponível do brasileiro, com base em cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os economistas da Firjan estimaram que o consumo nacional receberia uma injeção anual de R$ 57 bilhões. Se o aumento na renda atingisse 10%, a injeção no consumo chegaria a R$ 108 bilhões.

Caso houvesse uma sobra mensal resultante da redução da carga de tributos, a pesquisa revelou que entre 44,3% e 48% das pessoas consultadas poupariam. “A gente observa que há uma propensão grande a poupar, o que me surpreendeu”, disse Luciana de Sá. Em contrapartida, 37% das pessoas aproveitariam o aumento da renda para consumir mais, no caso de expansão em 5%, atingindo 35,5% das respostas com um aumento de 10% da renda disponível.

A campanha Dieta do Impostão terá um site (www.dietadoimpostao.com.br), onde as pessoas receberão esclarecimentos sobre a tributação e seus impactos na economia, com mobilização pelas redes sociais. Todos os brasileiros interessados poderão participar e dar sua opinião sobre o tema.

Luciana de Sá acredita que a entrada do novo presidente da República é a chance de se ter uma iniciativa de reforma tributária no país. A Firjan defende a reforma para trazer maior dinamismo às empresas nacionais e atrair mais investimentos.

De acordo com a pesquisa, 89,4% dos brasileiros consultados sabem que há impostos incidindo nos produtos. Metade, porém, ignora quais são esses percentuais, que podem chegar a 72% no caso de videogames, a 69% em perfume nacional, a 59% em microondas, a 53% na gasolina e a 50% em DVDs, por exemplo.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil / Repórter: Alana Gandra