Cartão muda taxa de juros para atrair a clientela

06/07/2005

O rotativo do cartão de crédito, a juros pós-fixados, pode estar com os dias contados no Brasil. Aos poucos, bancos emissores começam a dar aos clientes a opção do pagamento parcelado de faturas - e até crédito pessoal - a taxas prefixadas.

Embora a sistemática tenha nascido da ampliação da base junto à baixa renda, hoje a alternativa está disponível nos mais diversos estratos sociais.

Para se adaptar à cultura do consumidor, o poderoso segmento de meios eletrônicos de pagamento teve que se reinventar no País. Por trás dessa tendência está, de um lado, o hábito do brasileiro de não olhar o tamanho dos juros quando contrata um empréstimo, mas se a prestação cabe no bolso.

Na outra ponta, está a necessidade de os bancos incentivarem o uso do cartão na sua concepção original que é o crédito e assim gerarem maior retorno ao negócio.

Mas não é só o consumidor de baixo poder aquisitivo que demanda o parcelado. Com a possibilidade de pagamento total da fatura no vencimento sem juros ou encargos - prática que não encontra correspondência nos demais mercados -, estima-se que no Brasil só 30% daqueles que têm o dinheiro de plástico no bolso recorram ao financiamento pelo rotativo, a taxas pós-fixadas e, portanto, suscetíveis ao vaivém do mercado e da política monetária.

Pelos dados mais recentes do Banco Central (BC), o volume tomado em cartões de crédito era de R$ 9,8 bilhões em abril, menos de 8% dos saldos destinados às pessoas físicas, de R$ 129,9 bilhões (isso porque a contabilidade do BC inclui na estatística de cartões não só o valor financiado no rotativo, como também parcelas em atrasos e faturas a vencer).

É uma questão de sobrevivência. No dia a dia, os gestores de cartões têm que concorrer com outras modalidades que já têm a prefixação como princípio, na medida do gosto do consumidor. E com o advento do consignado tão mais difícil o apelo do produto como instrumento efetivo de crédito.

Fonte: Associação Nacional de Usuários de Cartões de Crédito