Copom inicia hoje penúltima reunião do ano

19/10/2010
Brasília - O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) inicia hoje (19) a sétima e penúltima reunião do ano para definir a taxa básica de juros, a Selic. A segunda parte da reunião será amanhã (20), quando vai ser divulgada a decisão do comitê.

A expectativa dos analistas é de manutenção do atual patamar de 10,75% ao ano, na reunião desta semana e na próxima, marcada para os dias 7 e 8 de dezembro.

Na avaliação da economista sênior para a América Latina do Royal Bank of Scotland, Zeina Latif, o BC sinalizou claramente pausa no processo de elevação da Selic e mostrou que está confortável com o cenário atual.

A taxa fechou 2009 em 8,75% ao ano e assim foi mantida nas reuniões de janeiro e março deste ano. Em abril, o BC elevou os juros básicos para 9,50% ao ano. Houve novas elevações em junho, para 10,25% ao ano, e em julho, para 10,75% ao ano. Em setembro, o Copom optou por manter o patamar da Selic.

Para a economista, no último Relatório de Inflação divulgado pelo BC trimestralmente, a instituição indicou com clareza que não deve elevar a Selic. “Os analistas podem concordar , discordar, mas isso são outros quinhentos. Mas o Banco Central foi absolutamente transparente na hora em que traçou o seu cenário. E não dá para a gente dizer que os últimos indicadores, desde a divulgação do último Relatório de Inflação e da última reunião do Copom, não vieram fora desse cenário do BC. Então, não teria razão para ele mudar a sua estratégia. Ele mantém, já sinalizou e não haveria razão para mudar de opinião”, afirmou Zeina.

Para a LCA consultores, em relatório ao mercado, a expectativa também é de manutenção da Selic na reunião desta semana, mas a consultoria avalia que “o comportamento recente das expectativas é, no momento, a principal ameaça a um cenário de estabilidade da Selic até o fim de 2011”. “A maior propensão a choques inflacionários no fim do ano, em contexto favorável para a demanda [crédito, renda e expectativas], impedirá uma convergência mais rápida das expectativas, o que aumenta o risco de que o BC seja forçado a elevar novamente o juro no ano que vem”.

Segundo o boletim Focus, divulgado ontem (18) pelo BC, a taxa básica deve ser mantida em 10,75% até o fim deste ano. Ao fim de 2011, a expectativa para a Selic é de 11,75% ao ano.

O Copom não mexe nos juros básicos quando acredita que o patamar da taxa é suficiente para gerar equilíbrio entre o que se produz, o que se compra e os preços. O comitê pode ainda reduzir a taxa Selic se o objetivo for aquecer o mercado consumidor e estimular a atividade econômica. Outra opção é elevar os juros para estimular a poupança e conter a expansão excessiva da demanda.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: Agência Brasil / Repórteres: Daniel Lima e Kelly Oliveira