Crescimento do volume de crédito deve cair para 15% em 2011, diz diretor do Banco Central

06/01/2011

O Banco Central (BC) espera que o volume de crédito neste ano cresça 20% e caia para 15%, em 2011, afirmou hoje (22) o diretor de Política Econômica da instituição, Carlos Hamilton Araújo, ao divulgar o Relatório Trimestral de Inflação.
Para as pessoas físicas, a expectativa é que o volume de crédito cresça 16%, neste ano, e 10%, em 2011. “O consumo vai continuar encontrando apoio na expansão do crédito, embora em ritmo menos acelerado”.
No caso das pessoas jurídicas (empresas), a perspectiva de expansão é de 16%, em 2010, e de 14%, no próximo ano.
O crédito com recursos livres (taxas livremente pactuadas entre os bancos e os clientes) deve crescer 16%, neste ano, e 12%, em 2011.
No caso do crédito direcionado, que são operações com taxas preestabelecidas em normas governamentais com financiamentos repassados principalmente pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a previsão de crescimento é de 29%, neste ano, e de 23%, em 2011.
Segundo o diretor, as medidas adotadas no início do mês de restrição do crédito e de aumento dos depósitos compulsórios (recursos que os bancos são obrigados a deixar no BC) “contribuem no sentido de moderar um pouco as taxas de crescimento” dos financiamentos.
Na previsão do BC, o volume de crédito em 2010 irá corresponder a 48% de tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB). Em 2011, essa relação deve ficar em 50%. Em 2009, ficou em 45%.

Fonte: Agência Brasil / Lilian Beraldo