Segundo a FIESP, empresas perdem R$ 3,4 bilhões com chuvas e enchentes de SP

13/01/2011

Tendo como principais problemas o atraso na entrega de produtos e a falta de funcionários, as chuvas e enchentes causam um prejuízo de aproximadamente R$ 3,4 bilhões por mês às empresas de São Paulo. O levantamento inédito foi feito pela FIESP (Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e ouviu 478 empresas, de todos os portes e de diversos setores.

A entidade elaborou a pesquisa após o período de enchentes e chuvas do verão de 2009/2010. E, para 41% das empresas, isto tem afetado significativamente suas atividades. No entanto, para 39% delas, as chuvas enfrentadas nos meses de verão causam dificuldades com o transporte de produtos das empresas, levando principalmente ao atraso nas entregas.

O maior problema, para 24% das empresas, é a falta de pessoal ou o atraso de funcionários que trabalham na produção. Para 15% das empresas o prejuízo está relacionado aos custos operacionais, e para 14% a dificuldade é o transporte de matérias-primas, causando a parada da produção. Outro prejuízo citado por 4% das empresas está relacionado à carga, enquanto que para 3%, o estoque e maquinário foram prejudicados devido à inundação da fábrica.

Todos estes problemas podem resultar em um prejuízo médio de 4,2% do faturamento mensal para 47% dos entrevistados. Mostrando assim que estes desastres naturais influenciam diretamente na economia local.

Na divisão por porte, 18% das pequenas empresas tiveram danos de cerca de 7,1% de seu faturamento. Para 22% das médias empresas, as perdas foram de aproximadamente 5,5%, enquanto que 8% das grandes empresas, o lucro ficou em média 4,5% mais baixo.

A pesquisa ainda mostrou que, a cada mês com chuvas em excesso, há uma perda de R$1,3 bilhão. Os danos causados por enchentes chegam a R$2,1 bilhões, totalizando perdas de cerca de R$3,4 bilhões mensais.

Fonte: G1