Dólar fecha estável, apesar de nova opção de intervenção do BC

27/01/2011

O dólar comercial fechou estável nesta quarta-feira (26), mesmo diante do anúncio de que o Banco Central pode realizar leilões a termo como mais um instrumento para combater a valorização do real.

A moeda norte-americana fechou vendida a R$ 1,671, mesma cotação da véspera. Na semana, o dólar acumula queda de 0,12%; no ano, porém, o desempenho ainda é positivo, com valorização de 0,30%.

Com a regulamentação do BC, divulgada na terça-feira (25) após o fechamento do mercado, a autoridade monetária passa a ter mais uma modalidade de intervenção no mercado de câmbio, além da compra de dólares no mercado à vista e da oferta de contratos de swap cambial reverso - que funcionam como uma compra de dólares no mercado futuro.

Uma circular publicada em 2002 já dava condições para a realização das operações a termo, mas elas nunca foram feitas pelo BC, porque ainda faltava esclarecer alguns detalhes operacionais. A carta-circular 3.484 resolveu esse problema.

Esse tipo de operação é comum no mercado. As empresas que captam recursos no exterior costumam antecipar o recebimento desse capital nos bancos, já convertidos em reais. Essas instituições financeiras se comprometem a comprar os dólares na data futura (a termo), quando de fato houver a concretização da captação.

Para se proteger, os bancos costumam fugir o risco cambial por meio de operações no mercado futuro. A novidade agora é que eles poderão negociar diretamente com o BC, adquirindo moeda nos leilões a termo da autoridade monetária.

Embora não tenha provocado a alta do dólar, a intervenção do governo tem retirado a volatilidade da moeda norte-americana nos últimos dias. O dólar não sobe diante do expressivo fluxo de capitais para o país, mas também não recua por causa da probabilidade de uma atuação mais dura do governo.

Fonte: G1