De acordo com Serasa, baixa renda se mantém na liderança da busca por crédito

11/05/2011

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, o número de pessoas que procurou crédito caiu 3% em abril em relação a março. Na comparação com o mesmo mês de 2010, a busca do consumidor por crédito aumentou 10,6%. Consumidores de baixa renda se mantêm na liderança da busca por crédito neste ano, mostra Serasa.

Em termos de crescimento anual, o resultado foi baixo à expansão de 12,9% no acumulado do primeiro trimestre de 2011, mostrando que a demanda do consumidor por crédito abriu o segundo trimestre do ano em desaceleração, diz a Serasa. A mudança aglomerada nos primeiros quatro meses de 2011 chegou 12,4%.

E segundo os economistas da Serasa o menor crescimento da demanda dos consumidores por crédito está sendo determinado tanto pelas medidas macroprudenciais [aumento do compulsório] adotadas pelo Banco Central no início de dezembro de 2010 quanto pelo atual ciclo de elevação das taxas de juros, o qual ainda deverá se prolongar por mais alguns meses.

Analisando por região, em relação a abril de 2010, o maior aumento foi registrado no Nordeste, apresentando 15,1% de crescimento. As regiões Centro-Oeste (13,7%) e Norte (13,0%) vieram logo em seguida. No decorrer dos primeiros quatro meses de 2011, o maior crescimento da demanda também foi registrado na região Nordeste, com aumento de 18,7% frente ao mesmo período de 2010. Nas demais regiões, os crescimentos variaram de 10,3% na região Sul a 12,3% na Norte. Nota-se também que os consumidores de baixa renda, que recebem até R$ 500 por mês, continuam na liderança da busca por crédito neste ano, a exemplo do que ocorreu em 2010, aponta a Serasa.

No aglomerado dos primeiros quatro meses do ano, o desenvolvimento registrado nessa classe de renda foi de 41,8%. Em seguida aparecem os consumidores que ganham entre R$ 5 mil e R$ 10 mil por mês, com alta de 20,4%. O menor ritmo de crescimento foi registrado pelos consumidores com renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2 mil: alta de 4,6% em relação ao primeiro quadrimestre de 2010. As outras classes de renda mostraram avanços em suas demandas por crédito variando entre 10,3% (renda mensal superior a R$ 10 mil) e 14,4% (ganhos mensais entre R$ 500 e R$ 1.000).

Fonte: Site G1