Procon-SP constatou que a taxa média do empréstimo pessoal em abril estava em 5,60%

18/05/2011

Foi constatado pela Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) através de uma pesquisa realizada nas tabelas dos sete maiores bancos do país, no dia 4 desse mês, que a taxa média do empréstimo pessoal em abril estava em 5,60% ao mês ou 0,33 ponto percentual acima dos 5,27% anotados no começo de dezembro do ano passado.

E o economista Carlos Eduardo de Freitas, do Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Corecon-DF), explica que esse aumento é devido a decorrência natural do acréscimo de recolhimento do compulsório bancário, anunciado pelo Banco Central (BC) no começo de dezembro, em uma operação que retirou R$ 61 bilhões do mercado.

Segundo o economista, o acréscimo do compulsório teve um choque imediato no aumento dos custos dos empréstimos.De acordo com o Procon-SP, um exemplo disso foi o ajuste da taxa média do empréstimo pessoal, que teve pequena diminuição em dezembro, em relação ao mês anterior, mas que ascendeu de 5,27% para 5,34% na pesquisa de janeiro deste ano e teve outros aumentos nos meses subseqüentes.

Carlos Eduardo de Freitas diz que os ajustes posteriores também podem ser explicados por medidas do governo como a adoção de exigências para desacorçoar o crédito de longo prazo, tais como o acréscimo de 1,5% para 3% da alíquota do Imposto de Operações Financeiras (IOF) para as pessoas físicas, no começo de abril. Além da taxa de empréstimo pessoal, essa pesquisa também verificou movimento ascendente no cheque especial, que abancou no mês de maio, com taxa média de 9,47% ao mês ou 196,22% ao ano, retornando ao mesmo patamar do segundo trimestre de 2003.

O Procon-SP realizou uma pesquisa com diversos bancos e constatou que a taxa de empréstimo pessoal mais baixa, é 4,95% ao mês e a mais alta é de 6,41%. Os índices encontrados na pesquisa do Procon-SP correspondem às taxas cobradas pelos bancos no final de abril. E por fim, serão conhecidos no dia 30, os números consolidados para todo o mês de abril, de todos os bancos do país, quando o Departamento Econômico do Banco Central anunciar o Relatório de Política Monetária e Operações de Crédito do Sistema Financeiro.

Fonte: Agência Brasil / Repórter: Stênio Ribeiro