Setor devolveu à sociedade R$ 19,1 bilhões em indenizações

28/12/2005

De janeiro a outubro de 2005, o setor de seguros devolveu à sociedade R$ 19,149 bilhões em indenizações. Os dados foram divulgados pela a Fenaseg (Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização). No ano passado, neste mesmo período, as indenizações em seguros somaram R$ 17,315 bilhões. A sinistralidade do segmento fechou os dez primeiros meses do ano em 67,11%, tendo destaque a Carteira de Saúde, cuja sinistralidade alcançou 91,88% no acumulado do ano.

Já o mercado de seguros, previdência complementar aberta e de capitalização registrou expansão de 8,70%, no acumulado de janeiro a outubro de 2005, em comparação ao mesmo período de 2004. Estatística da Fenaseg mostra que, nesse período, a arrecadação saltou de R$ 48,063 bilhões para R$ 52,245 bilhões.

O segmento de seguros teve evolução de 11,67%, com faturamento de R$ 40,464 bilhões. A liderança do mercado, nesse período, continuou com os ramos de Automóvel, que registrou crescimento de 16,40%, de Vida, 8,64%, e de Saúde, 11,29%. Mas os melhores desempenhos ficaram por conta dos seguros de crédito e patrimoniais, que evoluíram 28% e 25,1%, respectivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior. O setor de Capitalização totalizou R$ 5,687 bilhões nos dez primeiros meses de 2005, o que significou evolução de 4,8%. Já o de Previdência Complementar Aberta registrou retração de 4,82%, com arrecadação de R$ 6,092 bilhões.

A estatística da Fenaseg informou também que os investimentos do mercado de seguros, previdência complementar aberta e capitalização, somaram R$ 137,1 bilhões em outubro de 2005. O montante inclui R$ 35,0 bilhões de patrimônio líquido das empresas e R$ 102,1 bilhões de provisões técnicas. As informações são de estatística da Fenaseg, que levam em conta os dados da Susep e também da ANS – Agência Nacional de Saúde.

O saldo das provisões técnicas do mercado segurador, que garantem o pagamento das indenizações, resgates e benefícios, registrou um crescimento de 24,3% em relação a outubro de 2004, quando as reservas totalizaram R$ 82,1 bilhões.

Fonte: Fenaseg