A redução da taxa de juros será progressiva, segundo Dilma.

25/04/2012
Segundo a Presidente Dilma Rousseff, a redução de juros bancários no país acontecerá de forma progressiva e que o país precisa ter taxas compatíveis com a sua posição no mundo.
A presidente disse aos jornalistas após declaração que "“Vamos realizar isso progressivamente, não há razão para termos taxas de juros tão elevadas. Vejo países no mundo com alto grau de endividamento, com déficits fiscais estarrecedores e com níveis de inadimplência absurdos praticando taxas de 1%, 2%, 5%”, ao lado de David Johnston, governador-geral do Canadá.
Após uma pergunta sobre se as reduções dos juros em bancos públicos e privados podem ser consideradas uma vitória do governo, Dilma respondeu que não vê isso com " derrota ou vitória de ninguém".
Houve também perguntas sobre as possíveis alterações naa caderneta de poupança, evitando antecipar qualquer decisão do governo.“Cada dia com sua agonia, não adianta nos anteciparmos. Sem dúvida nenhuma todas as questões vão ser avaliadas pelo governo com muita calma, muita tranquilidade”. Respondeu a presidenta.
Diante da estabilidade macroeconômica do Brasil, não vê explicação técnica para que as taxas de juros no país não sejam compatíveis com as internacionais, voltou a dizer Dilma.

Fonte: Agência Brasil / Repórter Yara Aquino