Taxas de juros apresentam queda discreta em dezembro

27/12/2005

A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, realizou em dez instituições financeiras, no dia 2 de dezembro, pesquisa de taxa de juros de empréstimo pessoal e cheque especial para pessoa física. Os bancos que fizeram parte da pesquisa foram HSBC, Banespa, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander, Nossa Caixa, Real e Unibanco.

Empréstimo Pessoal - a taxa média dos bancos pesquisados foi de 5,44% a.m., inferior à do mês anterior, que foi de 5,45% a.m., significando um decréscimo de 0,01 ponto percentual.

As quedas verificadas nas taxas de empréstimo pessoal foram: HSBC – alterou de 5,04% para 4,99% a.m., o que significa um decréscimo de 0,05 ponto percentual, representando uma variação negativa de 0,99% em relação à taxa de novembro/05; Bradesco – alterou de 5,81% para 5,77% a.m., o que significa um decréscimo de 0,04 ponto percentual, representando uma variação negativa de 0,69% em relação à taxa de novembro/05.

A única alta verificada na taxa de empréstimo pessoal foi da Caixa Econômica Federal. A instituição alterou sua taxa de 5,22% para 5,24% a.m., o que significa um acréscimo de 0,02 ponto percentual, representando uma variação positiva de 0,38% em relação à taxa de
novembro/05. Os demais bancos mantiveram suas taxas de empréstimo pessoal.

Cheque Especial - a taxa média dos bancos pesquisados foi de 8,31% a.m., mesmo percentual do mês anterior, em função do arredondamento de casas decimais. A taxa média de novembro foi de 8,311% a. m. e neste mês foi de 8,307%, devido à queda da taxa do Bradesco.

O Bradesco alterou a taxa de cheque especial de 8,27% a.m. para 8,23% a.m., o que significa um decréscimo de 0,04 ponto percentual, representando uma variação negativa de 0,48% em relação à taxa de novembro/05.

Considerando que existe a possibilidade de variação da taxa do empréstimo pessoal em função do prazo do contrato, foi estipulado o período de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com este prazo. Vale lembrar, também, que os dados coletados referem-se a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias.

Na pesquisa realizada pelo Procon-SP, neste mês, não foram observadas alterações importantes nas taxas de juros, apenas uma discreta queda que, no caso do cheque especial, sequer foi sentida na apuração da taxa média. O Natal é uma importante data comemorativa para o comércio e o clima de festa do mês de dezembro pode induzir os consumidores a comprar mais e a contratar empréstimos. Neste caso, convém lembrar que, seja qual for o tipo de contratação, as cobranças começarão a aparecer no início do próximo ano, juntamente com matrículas e materiais escolares, IPVA e outras despesas.

É importante, também, planejar o que fazer com o 13º salário, dando prioridade ao pagamento de dívidas.

Fonte: Fundação Procon-SP