Petrobras intensificará investimentos no pré-sal para aumentar produção

24/05/2012

Em especial na região do pré-sal da Bacia de Santos, onde o Campo de Lula (antigo Tupi) “está prestes” a alcançar uma produção diária de 100 mil barris de petróleo – maior produção individual por poço da estatal. A Petrobras pretende intensificar ainda mais os investimentos na área de Exploração e Produção da companhia.

 Barbassa informou que a Petrobras deverá chegar ao final do ano com cerca de 20 sondas de prospecção na área do pré-sal. “O objetivo é intensificar ainda mais os investimentos no desenvolvimento e no crescimento da produção de petróleo no país”.
Segundo o diretor financeiro da Petrobras, a estatal vai centrar o foco nos setores de planejamento e execução da companhia. “Faremos acompanhamento diário dos projetos. No pós-sal, responsável por 80% da nossa produção, vamos investir no desenvolvimento de equipamentos que proporcionem a sustentação da produção no longo prazo”, disse o diretor.
Barbassa lembrou que a perspectiva da empresa, apenas na região do pré-sal, é chegar aos 15 a 20 bilhões de barris de petróleo recuperáveis, já considerando os 5 bilhões de barris adquiridos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) por meio da cessão onerosa .
“Estamos muito confiantes quanto à geração de valores a partir dessa aquisição”, disse. O diretor financeiro da Petrobras destacou que os sete blocos envolvidos na operação de cessão onerosa (forma proposta pela União para capitalizar a empresa) estão próximos às áreas das grandes descobertas da Bacia de Santos. “Não há outra empresa no mundo que tenha o mesmo conjunto de oportunidades que a Petrobras tem hoje”.
Sobre as oscilações das ações da Petrobras na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), respondendo diretamente aos investidores, Barbassa disse que o retorno financeiro das ações da companhia para os investidores virá com a maturação dos projetos em desenvolvimento.
“No final do primeiro trimestre, tínhamos R$ 160 bilhões investidos nos projetos em curso. Estamos, portanto, em um período de grandes investimentos. Na medida em que eles [os projetos] se tornarem produtivos, haverá naturalmente retorno para os investidores”, ressaltou.
 

Fonte: Agência Brasil / Nielmar de Oliveira