Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

35,8% dos negativados desejam ter independência financeira

Por Janaína TavaresPublicado em

De acordo com um estudo da Foregon, uma das metas financeiras mais desejadas entre os negativados é alcançar a independência financeira. Conheça mais sobre a pesquisa que foi disponibilizada entre os dias 30 de dezembro de 2019 a 13 de janeiro de 2020.

O que o estudou comprovou?

Segundo o levantamento da fintech, 28,9% dos consumidores brasileiros estão negativados, ou seja, mais de 60 milhões de pessoas. Este valor é baseado na estimativa populacional brasileira para 2019 dada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Independentemente desta situação, ter a liberdade financeira é um dos principais sonhos dentre a população que está negativada. Além disso, há outras metas e desejos deste público. Veja mais na tabela:

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20
Ter independência financeira 35,8%
Comprar a casa própria 19,2%
Abrir um negócio 13%
Outros 9,5%
Comprar um carro 9,3%
Comprar eletroeletrônicos (smartphone, notebook, TV, entre outros) 4,4%
Casar 3,1%
Nenhum 2,6%
Fazer a matrícula/rematrícula em escola ou faculdade 2%
Viajar 0,8%
Fazer procedimentos estéticos 0,3%

Como conquistar as metas financeiras?

Primeiro, você precisa regularizar a sua situação de inadimplência. Então, pague as contas em dia ou renegocie suas dívidas com o credor. Também é muito importante que você mantenha seus dados atualizados e procure pagar suas compras à vista, se for possível.

Diante disso, você já pode se organizar para alcançar suas metas financeiras com as seguintes dicas:

  • Faça o seu planejamento financeiro para esse ano e estabeleça todos os objetivos a médio e longo prazo;
  • Tenha disciplina e controle em relação aos seu gastos pessoais;
  • Priorize o pagamento das contas fixas e também das dívidas que possuem altas taxas de juros;
  • Poupe dinheiro e invista nele para conseguir obter resultados no futuro.

Pesquisa ‘Panorama dos negativados no Brasil 2020’

O estudo busca analisar as evidências relacionadas à inadimplência dentro do contexto brasileiro, além de identificar o nível de endividamento da maioria dos consumidores.

Portanto, para essa pesquisa, a fintech ouviu 5.908 consumidores e o nível de confiança do estudo é de 95%, com uma margem de erro de 1,3 pontos percentuais.

Além disso, todas as faixas etárias foram levadas em consideração no levantamento. Mas os respondentes na faixa de 25 a 34 anos se destacaram como a maioria, acumulando 38,1% de participação.

Vale citar ainda que a região com maior representatividade foi a região Sudeste, concentrando 30,2% dos respondentes, seguida do Nordeste, com 24,6% e Sul, com 17,5%.

Conteúdos que você precisa conhecer

Fizemos uma seleção de conteúdos especial para você:

Descomplicamos?

Você também sonha e deseja alcançar um dia a sua independência financeira, mesmo estando negativado? Quais atitudes que você tem tomado para conquistar isso? Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Lojas físicas ou online: qual a preferência no Dia do Consumidor 2020?

Descubra a faixa salarial que se destaca no Dia do Consumidor

Os principais interesses de compra do Dia do Consumidor

47,2% dos ex-negativados conseguem controlar as finanças

Negociar as dívidas é a parte mais importante para 35,2% dos ex-negativados

25,9% dos inadimplentes não têm condições de quitar dívidas

35,8% dos negativados desejam ter independência financeira

87,7% dos negativados não conseguem aprovação de crédito

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Pesquisas de mercado