Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

6 passos para organizar as finanças pessoais em 2021

Por GuiabolsoPublicado em

Passar grande parte da vida endividado e contando as moedas para poder pagar as
contas no fim do mês é a realidade de grande parte dos brasileiros. E depois de 2020,
manter estabilidade financeira se tornou uma meta para muitos brasileiros,
principalmente em momentos de crise e incertezas.

Mas o processo de organização financeira pode parecer bem confuso para quem está
começando e pensando nisso, separamos algumas dicas que podem te ajudar a passar
por isso da maneira mais simples possível.

Comece entendendo o que significa estar organizado financeiramente e os benefícios.
Ao falarmos de organização financeira, estamos nos referimos à capacidade de um
indivíduo de manter o controle sobre o seu dinheiro dentro do seu ciclo salarial e,
consequentemente, também a longo prazo.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

As vantagens de se organizar financeiramente vão muito além da satisfação de fechar o
mês com dinheiro na sua conta bancária. Quem se organiza financeiramente consegue
enxergar com clareza seu orçamento mensal e também se planejar para poupar
dinheiro ou acontecer sonhos de médio e longo prazo.

1) Saiba quanto você ganha e quanto você gasta.

Pode até parecer bobagem falar isso, mas é muito comum que as pessoas não saibam
exatamente o que elas ganham. Por isso, comece avaliando com calma qual
exatamente é a sua renda mensal.

Aproveite esse momento para entender também quais são seus gastos fixos, quanto
você precisa para viver e pagar contas básicas como contas residenciais, aluguel,
mercado e etc.

Dessa forma, você consegue entender exatamente quanto custa o seu custo de vida e
quais são os seus gastos essenciais.

2) Anote todos os seus gastos.

Se você não sabe por onde começar, comece anotando todos os seus gastos, desde
grandes valores, como compras e mercados, até pequenos gastos como compras em
lanchonetes e outros valores.

Mas, se você não quer perder tempo para anotar seus gastos em uma planilha comum,
o Guiabolso pode te ajudar! É só conectar suas contas e nos puxamos seu extrato de
maneira automática.

O importante é ter consciência de tudo que você tem gastado, essa é a maneira mais
fácil de perceber para onde o teu dinheiro tem ido.

3) Defina suas prioridades.

Agora que você já sabe o quanto ganha e quanto gasta, é hora de definir suas
prioridades financeiras, a curto, médio e longo prazo.

Entenda nesse momento quais são as categorias que você deseja gastar mais, quais
quer reduzir e quanto quer economizar, sempre faça planos e tome decisões olhando
para elas. Assim, você conseguirá alcançar suas metas com mais facilidade.

4) Monte a sua reserva de emergência.

A reserva de emergência é muito mais do que só um dinheiro para as horas de
desespero, ela pode ser mais uma maneira para que você tenha segurança, caso o
orçamento saia do controle em algum mês e com ela, você foge de crédito com juros
absurdos.

Montar sua reserva de emergência não precisa ser um processo complicado, o
primeiro passo é entender como sua saúde financeira do momento está e qual a
porcentagem da sua renda você vai conseguir poupar.

O ideal é poupar pelo menos 15% de todo valor, mas se você não conseguir poupar
essa quantidade, guarde o quanto você puder.

O importante, no começo, é poupar.

5) Evite cartão de crédito.

O cartão de crédito pode ser um grande aliado ou um grande vilão, e por isso, se você
ainda não se sente confortável para usar o cartão de maneira consciente, evite.

Principalmente se você parcelar suas compras e pagar o mínimo da fatura. Já que os
juros rotativos do cartão de crédito são um dos mais altos do mercado, né?

A melhor saída, é deixar o cartão para momentos específicos e sempre que possível,
passar "a vista".

6) Poupe parte da sua renda e invista esse dinheiro.

Além de poupar para sua reserva de emergência, você deve poupar dinheiro para suas
metas e planos a curto, médio e longo prazo. Esse dinheiro vai te ajudar a conquistar
desejos sem que você fique em dívidas por conta disso.

Lembre-se, o valor a ser poupado vai depender da sua disponibilidade e do tempo que
você deseja levar para realizar a possível meta.

O processo de organização financeira pode não ser linear, mas não precisa ser uma
grande dor de cabeça. Principalmente em momentos como esse. Lembre-se, não existe
hora certa, o importante é começar

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Guiabolso

O Guiabolso é uma plataforma que facilita e melhora a gestão financeira das pessoas organizando seus orçamentos, oferecendo bons produtos financeiros e permitindo que elas façam transferências instantâneas e gratuitas, a qualquer dia e hora. O App organiza as diversas contas bancárias do usuário automaticamente em apenas dois minutos, sem a pessoa ter de anotar os seus gastos individualmente. O App também faz a curadoria dos melhores produtos financeiros de acordo com o perfil detalhado do usuário. A missão do Guiabolso é transformar o sistema financeiro ajudando as pessoas a melhorarem suas vidas. O aplicativo, que surgiu em 2014 e já recebeu US$ 80 milhões em cinco rodadas de investimentos, conta com mais de 6 milhões de usuários. Além disso, possui o Guiabolso Connect, serviço pioneiro de inteligência de dados que conecta pessoas e empresas com o intuito de viabilizar negócios cada vez mais justos e personalizados, gerando mais assertividade, respostas em tempo real e redução de custos para as empresas que utilizam essa solução.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Algar Telecom: conheça os diferentes planos de celular

Placa Mercosul: como é o emplacamento em outros países e quais as diferenças

Hotmart Pocket: dúvidas frequentes

Como colocar a nova placa Mercosul?

Placas Mercosul: conheça seu histórico e os preços em cada estado

Placa Mercosul: dúvidas frequentes

Saiba o que mudou no projeto das placas do Mercosul e tire suas dúvidas

Banco digital ou banco tradicional: qual o melhor?