Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Auxílio-reclusão: como funciona e quem tem direito?

Por Camila SilveiraPublicado em

Oferecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o auxílio-reclusão é um benefício pago aos dependentes do trabalhador que se encontra preso. Mas, afinal você sabe como ele funciona e quem tem o direito de recebê-lo? Neste artigo, você vai esclarecer essas e outras questões e aprender como solicitá-lo, caso seja necessário.

Entenda o que é auxílio-reclusão

O auxílio-reclusão é um benefício pago aos dependentes, tais como filhos, pais, irmãos e cônjuges, dos segurados do INSS que estão presos em regime fechado, de acordo com a Lei 8.213, de 24 de junho de 1991. Portanto, se o trabalhador cumprir a pena em regime aberto ou semiaberto, a família não tem direito ao benefício.

O valor do benefício é o mesmo de um salário mínimo vigente (R$ 1.045,00). Porém, é importante ressaltar que para os dependentes receberem o benefício, o contribuinte do INSS não pode estar ganhando salário e nem qualquer outro benefício da Previdência Social. Além disso, o último salário recebido pelo segurado não pode ter sido maior que R$ 1.292,43.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Quem tem direito ao auxílio-reclusão?

  • Cônjuge (marido ou mulher);
  • Companheiro(a);
  • Filhos não emancipados menores de 21 anos, ou de qualquer idade em caso de invalidez ou deficiência;
  • Irmãos não emancipados menores de 21 anos, ou de qualquer idade em caso de invalidez ou deficiência.

O que é necessário para pedir o benefício?

  • Documentos pessoais com foto do dependente e do trabalhador preso;
  • Documentos que comprove a relação com a Previdência Social, como carnê de recolhimento de contribuição ao INSS;
  • Declaração de cárcere, emitida pela unidade prisional onde o trabalhador foi preso;
  • Documentos que comprovem a condição de dependente como, por exemplo, certidão de nascimento (para filhos menores de 21 anos), certidão de casamento (cônjuges e companheiros), conta bancária conjunta (para pais e irmãos dependentes).

Como pedir o auxílio-reclusão?

Você pode realizar o seu pedido pelo site do Instituto Nacional do Seguro Social, pelo aplicativo Meu INSS, disponível para celulares iOS e Android, ou pelo telefone 135.

Quanto tempo dura o benefício?

Tudo vai depender de quem vai receber o auxílio-reclusão. Por exemplo, os filhos e irmãos só podem receber o auxílio até os 21 anos de idade, exceto se forem inválidos ou portadores de deficiência, ou enquanto durar a prisão do trabalhador. No caso dos pais do segurado, o benefício dura enquanto ele estiver preso.

Agora, em caso de cônjuges e companheiros, se a união foi iniciada em menos de dois anos antes da prisão do trabalhador, a duração do benefício é de quatro meses. Caso a união tenha mais de dois anos, a duração vai depender da idade da pessoa. Confira a tabela abaixo e esclareça suas dúvidas.

Idade do dependente na data da prisão Duração máxima do benefício
Menos de 21 anos Três anos
Entre 21 e 26 anos Seis anos
Entre 27 e 29 anos Dez anos
Entre 30 e 40 anos 15 anos
Entre 41 e 43 anos 20 anos
A partir de 44 anos Vitalício

Em quais casos o auxílio-reclusão deixa de ser válido?

Caso o dependente não apresentar a declaração de cárcere, que indica se o trabalhador continua preso, o benefício deixa de ser pago. É importante ressaltar que esse documento deve ser entregue ao INSS a cada três meses.

Além disso, quando o trabalhador é solto, o auxílio-reclusão também é cancelado. Caso essa seja a situação, o dependente do segurado precisa apresentar o alvará de soltura ao instituto.

Se houver fuga, liberdade condicional ou cumprimento de pena em regime aberto ou semiaberto, o benefício também deixa de ser válido.

Se o trabalhador preso possui mais de um dependente, como o auxílio-reclusão é pago?

Neste caso, o valor do benefício deve ser dividido igualmente entre os dependentes. Caso o trabalhador não tenha filho e nem cônjuge, o dinheiro é enviado aos pais e irmãos, desde que comprovem que são dependentes economicamente do segurado.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Aneel aciona bandeira vermelha em patamar 2 e impacta economia brasileira

Organizze: veja o passo a passo de como usar o aplicativo para controlar suas finanças

A melhor forma de utilizar o dinheiro da restituição do IR 2021

Cashback: guia completo

Dia dos namorados: como economizar?

5 dicas para você cuidar do seu dinheiro e gastar sem culpa

5 contas digitais gratuitas que oferecem empréstimo

Dia dos Namorados: planejamento financeiro em conjunto