Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Bitcoin ultrapassa R$ 150 mil: veja o que está por trás da alta

Por Thais SouzaPublicado em

Conhecido também como BTC, a moeda virtual Bitcoin, foi apresentada pela primeira vez em 2008. Em 2010, logo nos seus primeiros anos, um Bitcoin valia somente 21 centavos. Hoje, a criptomoeda já ultrapassa R$ 150 mil. Veja o que está por trás da alta.

O que é Bitcoin? 

O Bitcoin é uma moeda digital cujo seu valor é definido pelo mercado. Seu diferencial é que os usuários não precisam de nenhuma instituição para fazer transações. Outro ponto, é que ele não é emitido por nenhum governo.

Ou seja, a moeda não existe fisicamente e a compra, venda e movimentações são feitas 100% online. O Bitcoin é produzido de forma descentralizada por milhares de computadores e é mantido por usuários.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

O BTC está se tornando cada vez mais viável tanto para Pessoas Físicas, como para Jurídicas, Isso porque ele oferece vantagens como:

  • Segurança oferecida pela criptografia blockchain;
  • Rede de pagamento descentralizada (ponto-a-ponto);
  • Liberdade de pagamento;
  • Taxas menores; 
  • Controle e transparência das suas transações; 
  • Ótimo retorno de investimos; 
  • Tendência de alta (por conta do design deflacionário, o Bitcoin tende a ser cada dia mais raro e valorizado no mercado).

Bitcoin ultrapassa R$ 150 mil

No dia 27 de dezembro de 2020, o valor do um Bitcoin subiu para R$ 150 mil no Brasil e não para de valorizar. Em dólar, a criptomoeda já é negociada acima dos US$ 28 mil.

Somente no ano de 2020 o Bitcoin teve uma valorização de 410% em real, já em dólar a valorização é de 290%. Nos primeiros dias de 2021, a criptomoeda está valendo cerca de R$ 162 mil. 

O que está por trás da alta do Bitcoin? 

A valorização do Bitcoin se deu principalmente por conta da pandemia, que mudou os hábitos dos consumidores, fazendo com que o dinheiro virtual criasse mais valor, com o aumento das compras e movimentações financeiras online.

Além disso, 2020 impulsionou a entrada das empresas para o mundo do Bitcoin. Para se ter uma ideia, somente a MicroStrategy, empresa de bussiness inteligence listada na bolsa de valores americana, comprou US$ 425 milhões em Bitcoin. Nos meses seguintes, ele seguiu comprando e já acumula mais de US$ 1,1 bilhão.

Seguindo essa tendência, várias outras empresas começaram a investir fortemente na criptomoeda como uma reserva de valor e hedge contra o dinheiro fiduciário.

Outro aspecto que influenciou na valorização do Bitcoin foi a facilitação no acesso à criptomoeda. Atualmente é possível negociá-la por conta própria ou através de corretoras. Em novembro de 2020, o PayPal também passou a permitir que seus clientes negociassem Bitcoin através do aplicativo, de forma rápida e fácil.

A previsão de especialistas é que a criptomoeda ganhe cada vez mais forças no mercado, principalmente se houver desvalorização no dinheiro físico.

Conteúdos reacionados

Enfim, gostou do artigo? 

Esperamos que você tenha gostado de saber um pouco mais sobre como anda a valorização do Bitcoin no mercado. Deixe seu comentário abaixo caso tenha ficado com alguma dúvida. Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida de pessoas que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Volta às aulas 2021: como vai funcionar o ensino presencial em SP

Motoristas de São Paulo podem pagar IPVA com o Pix: entenda

Governador de SP cancela todos os concursos públicos até 2022

Pronampe: programa recebe R$ 10 bilhões por meio de MP

Como ter 40% de desconto no licenciamento 2021 em SP?

Corretoras de investimento poderão atuar com pagamentos de boletos

Nubank compra Easynvest: o que muda para os clientes?

BC autoriza Nubank a vender ações, debêntures e commodities

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Notícias sobre economia e finanças