Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Cashback é um gatilho mental ou uma forma de ganhar dinheiro?

Por Camila SilveiraPublicado em

Recentemente, o cashback (dinheiro de volta) ganhou bastante destaque no mercado e, por isso, tem sido muito procurado pelas pessoas que querem contratar um cartão de crédito ou uma conta digital. Mas, afinal, será que esse recurso é apenas um gatilho mental ou ele é realmente uma forma de ganhar dinheiro? Isso você vai descobrir neste artigo.

Cashback: é um gatilho mental ou mais uma forma de ganhar dinheiro?

A plataforma de conteúdo Seu Crédito Digital realizou uma live com o tema "Dia do Cashback Méliuz: será que é pegadinha ou tá valendo a pena?", e uma das dúvidas que surgiu durante o evento online foi: "Qual é o real propósito do cashback?".

Foi iniciada, então, uma discussão sobre o assunto com a equipe da empresa, composta por Jandre Duarte, Misael Montana e Luiz Felipe Kessler.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Dentre os comentários, uma mensagem do Perspectiva Jovem surgiu: "Cashback é desconto vestido de dinheiro para enganar seu psicológico". De acordo com Misael Montana, esse recurso é uma forma de gatilho de consumo.

"Me atrevo a dizer que o cashback é muito ligado à cultura americana. Lá tem muito cupom de desconto. Você ia nos lugares turísticos e via cupons de desconto que eram recortados pelas pessoas. Então, com o tempo, a gente acaba tendo a questão do cupom vinculado a um programa como o cashback. É uma cultura norte-americana enraizada".

Por outro lado, o Luiz Felipe Kessler defendeu que a essência do serviço é o dinheiro de volta. "É comprar um produto e ganhar um dinheiro de volta".

Além disso, Kessler justifica que, se você não souber da opção de cashback, provavelmente acabará comprando na internet do mesmo jeito, porém sem receber dinheiro nenhum de volta. De acordo com ele, esse desconto, ou cashback, é criado por você mesmo.

Para o Misael Montana, o cashback ainda tem uma outra função para as empresas. 

"A estratégia do Méliuz é a aquisição de clientes. Uma empresa tem uma aquisição por R$ 100, por exemplo, e o Méliuz consegue a mesma aquisição por R$ 70. Então, esses R$ 30 que sobram é que viram a margem para criar o mecanismo do cashback".

"Eu apenas discordo como usuário", concluiu Luiz Felipe Kessler. "A loja e a empresa pensam como gatilho de consumo, mas a gente, consumidor, usa isso ao nosso favor. […] A gente utiliza o cashback para ganhar".

Gostou do conteúdo?

Confira a discussão completa agora mesmo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Dinheiro físico: conheça seus mitos e verdades

Entenda o que é IPCA e IGP-M e saiba quais as diferenças entre eles

Quanto tempo demora para aumentar o score de crédito?

Banco Central lança ferramenta que faz diagnóstico da saúde financeira do brasileiro; saiba mais

É melhor financiar ou alugar?

Renda ativa e renda passiva: saiba quais são as diferenças entre os dois termos

Tarifas bancárias: o que são?

PIB: guia completo