Foregon.comConteúdos

Cobrança judicial: o que é e como funciona?

Janaína TavaresPublicado em

Se você tem o hábito de manter as suas contas em dia, saiba que sua vida financeira está no caminho certo. Porém, quando você esquece ou deixa de pagar alguma dívida, pode receber uma cobrança judicial.

Caso isso aconteça, significa que, além de estar devendo para a empresa credora, você também poderá ser processado pelo não pagamento da dívida. Por isso, para evitar essa situação, acompanhe a leitura do nosso artigo e conheça mais detalhes a respeito desse assunto.

O que é cobrança judicial?

A cobrança judicial é um dos caminhos escolhidos pela empresa credora para que ela receba o pagamento da dívida, assim como os juros.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Em outras palavras, essa cobrança é uma recuperação do crédito por meio da via judiciária, ou seja, o Poder Judiciário é acionado pela empresa credora com o intuito de fazer com que o cliente pegue o débito em atraso.

No entanto, essa opção nem sempre será o procedimento mais rápido para que o credor consiga ter o valor restituído. Por isso, existem outras formas de cobrança que podem ser mais fáceis como, por exemplo, a cobrança extrajudicial.

O que é cobrança extrajudicial?

Já a cobrança extrajudicial é realizada fora do âmbito judicial. Isso significa que ela acontece quando o cliente é cobrado por meio de telefonemas, e-mail, notificação, entre outros meios de comunicação.

Sendo assim, essa é uma maneira mais amigável de resolver as pendências financeiras sem a necessidade de estender essa situação até à justiça. Com isso, é possível contar com algumas vantagens:

  • Você, enquanto cliente, não precisa se preocupar em pagar nada mais além da sua dívida como, por exemplo, as despesas processuais;
  • Você, enquanto empresa credora, irá receber o pagamento do débito em um menor período de tempo.

Como funciona a cobrança judicial?

Antes de acionar a justiça para formalizar a cobrança judicial, a empresa pode tentar outras soluções mais práticas. 

Uma delas é avisar o devedor sobre a dívida pendente por meio de ligações ou envio de mensagens, por exemplo. Neste caso, a cobrança pode ser feita diretamente pelo credor, por empresas de cobrança ou ainda por uma terceira empresa que comprou a dívida para cobrá-la.

Nesta etapa, ocorrem algumas tentativas de negociação. Caso as duas partes não consigam chegar em um acordo justo, a empresa credora pode entrar com uma cobrança judicial. Assim, essa cobrança será realizada por um advogado que deverá ajuizar uma ação no Poder Judiciário.

O que acontece se não pagar cobrança judicial?

Enquanto a cobrança judicial não for paga, você terá que arcar com diversas despesas. Algumas delas são: honorários advocatícios, consultorias jurídicas especializadas, entre outras.

Além disso, se mesmo assim você não quitar a dívida, poderá ter seus bens penhorados ou bloqueados pela justiça.

Como evitar a cobrança judicial?

A cobrança judicial é um procedimento desgastante e prejudicial para a saúde da sua vida financeira. Sabendo disso, preparamos algumas dicas do que fazer para evitá-la:

  • Saiba exatamente quais são suas dívidas e os valores de cada uma. Para isso, você fazer a consulta de CPF nos órgãos de proteção ao crédito;
  • Faça um bom planejamento financeiro pessoal e familiar. Assim, você corta todos os gastos extras e mantém um controle mais rigoroso em relação aos seus ganhos e despesas;
  • Pague em dia todas as seus débitos. Dê preferência para as dívidas que possuem alta taxa de juros;
  • Busque negociar suas dívidas pendentes, caso você esteja negativado. Entre em contato diretamente com a empresa credora para resolver essa situação.

Conteúdos que você precisa conhecer

Que tal aproveitar esse momento para explorar outros artigos da Foregon?

Descomplicamos?

Gostou do nosso conteúdo? Lembre-se de seguir as nossas dicas para não ter que receber uma cobrança judicial e, assim, evitar mais problemas financeiros. Qualquer dúvida, envie sua pergunta para que possamos responder. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Reserva de emergência: guia completo

Os melhores filmes e séries que falam sobre o universo financeiro

Como ser um empreendedor de sucesso: guia completo

Itaú: demora para cair uma transferência entre contas do mesmo banco?

Como escolher o melhor cartão de crédito: guia completo

Conheça o Banco Modal e seus diferenciais

Bolsa Família: o décimo terceiro será pago em 2020?

OLX: plataforma oferece empréstimo em parceria com a EasyCrédito

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras