Foregon.comConteúdos
    1. Dicas Financeiras

    Como aplicar a justa causa?

    Por Jennifer FigueiredoPublicado em
    Compartilhe

    Demitir um funcionário por justa causa só é aplicável quando o empregado comete alguma das infrações previstas no Art. 482 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Essa é considerada a maior penalidade que uma empresa pode aplicar, portanto, é necessário compreender os critérios que justificam essa atitude. Entenda como aplicar a justa causa, neste artigo. 

    Justa causa: em quais situações aplicar?

    O empregador poderá efetuar a rescisão de contrato de trabalho por justa causa caso o funcionário cometa atitudes consideradas proibidas pela Lei nº 5452/43. São 14 atos infracionais:
    a) Ato de improbidade;
    b) Incontinência de conduta ou mau procedimento;
    c) Negociação habitual por conta própria ou alheia sem permissão do empregador, e quando constituir ato de concorrência à empresa para a qual trabalha o empregado ou for prejudicial ao serviço;
    d) Condenação criminal do empregado, passada em julgado, caso não tenha havido suspensão da execução da pena
    e) Desídia no desempenho das respectivas funções;
    f) Embriaguez habitual ou em serviço;
    g) Violação de segredo da empresa;
    h) Ato de indisciplina ou de insubordinação;
    i) Abandono de emprego;
    j) Ato lesivo da honra ou da boa fama praticados no serviço contra qualquer pessoa ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
    k) Ato lesivo da honra ou da boa fama ou ofensas físicas praticadas contra o empregador e superiores hierárquicos, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;
    l) Prática constante de jogos de azar;
    m) Perda da habilitação ou dos requisitos estabelecidos em lei para o exercício da profissão, em decorrência de conduta dolosa do empregado (incluído pela Lei nº 13.467, de 2017).
    Parágrafo único – Constitui igualmente justa causa para dispensa de empregado a prática, devidamente comprovada em inquérito administrativo, de atos atentatórios à segurança nacional (incluído pelo Decreto-lei nº 3, de 27.1.1966).

    Observadas as ações previstas na lei, é importante destacar que a demissão por justa causa, sem que o empregado tenha cometido qualquer infração, poderá acarretar em indenização por danos morais. 

    Essa forma de rescisão anula muitos direitos que o trabalhador poderia receber, quanto à verbas rescisórias. Portanto, cabe à empresa pagar o saldo de salário do mês e férias vencidas com acréscimo de um terço do seu valor. 

    Direitos que o trabalhador perde com a justa causa

    Uma vez que a penalidade da justa causa é estabelecida no momento da demissão, o trabalhador perde direitos como: aviso prévio, férias proporcionais,13º salário proporcional, indenização corresponde a 40% do FGTS, saque do FGTS e seguro desemprego.

    Portanto, o empregador deve avaliar com cautela o cenário e decidir se houve quebra de confiança entre as partes, tornando inconcebível a permanência do funcionário na empresa. 

    Demissão: entenda os seus direitos na rescisão

    Além da rescisão por justa causa, existem outras modalidades que consideram os diferentes cenários nos quais podem ocorrer a demissão. Para saber todos os detalhes, além de dicas importantes para essas situações, selecionamos este artigo para sua leitura.

    Gostou? Deixe seu curtir
    Compartilhe nas suas redes sociais

    Leia a seguir

    • Dicas Financeiras

      7 sinais de atenção com o seu cartão de crédito

    • Dicas Financeiras

      Confira 8 mitos e verdades sobre nome negativado

    • Dicas Financeiras

      7 curiosidades sobre o cartão de crédito

    • Dicas Financeiras

      Conheça o banco chinês XCMG que irá atuar no Brasil

    Ver mais conteúdos

    Veja o que estão comentando