Foregon.comConteúdos

Como fazer o cálculo de férias? Descubra

Por Janaína TavaresPublicado em
Compartilhe

Todo cidadão brasileiro que exerce uma atividade profissional com registro na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), pode tirar férias do serviço. Mas, você saberia dizer pra gente como é que se faz o cálculo de férias?

Conforme o artigo 129 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), você tem o direito garantido de ter um período de férias.

Além disso, durante esse tempo em que a pessoa fica ausente, ela não poderá sofrer com qualquer tipo de prejuízo relacionado à remuneração que ganha. 

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como sabemos que esse é um assunto que pode gerar várias dúvidas, vamos explicar neste artigo mais detalhes e mostrar como é possível fazer o cálculo das suas férias na prática. 

Quem tem o direito de tirar férias do serviço?

De acordo com o Art. 129 da CLT, qualquer empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias. Sendo assim, só tem direito a férias os talentos que trabalharem 12 meses.

O estagiário tem direito às férias?

O estagiário não tem esse direito garantido por lei porque ele não possui um vínculo empregatício com a empresa onde atua.

No entanto, todo estagiário pode ter direito a um recesso remunerado que não virá acrescido de 1/3 da remuneração.

Isso quer dizer que, após trabalhar por um ano, ele consegue aproveitar 30 dias de recesso, ganhando ainda a sua bolsa-estágio.

Como fazer o cálculo de férias?

Para facilitar a sua vida, vamos trabalhar com alguns exemplos que vão te ajudar a visualizar o cálculo de férias.

Portanto, esse cálculo é composto pelo salário bruto do colaborador, acrescido de 1/3 desse mesmo valor + os outros benefícios que possam ser oferecidos pela empresa onde você trabalha, subtraindo com a quantidade de descontos, como o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), dentre outros. 

Então, se você ganha R$ 1 mil, precisa dividir esse valor por 3, assim como no exemplo abaixo:

  • R$ 1 mil/3 = R$ 333,33. O valor a receber será R$ 1 mil + R$ 333,33 = R$ 1.333,33.

No exemplo acima, usamos apenas o salário bruto + 1/3 das férias. Isso porque os benefícios variam de empresa para empresa, enquanto os descontos variam de funcionário para funcionário.

Como fazer cálculo de férias proporcionais?

Se você ficou mais de 15 dias registrado na empresa, pode também ter o direito às férias mesmo que não tenha completado um ano de serviço.

O pagamento da remuneração extra deve ser feito, mas não vai existir a possibilidade de ter um período de descanso justamente porque você não trabalha mais na empresa.

Neste contexto, o cálculo de férias vai considerar o salário bruto dividido por 12 (meses do ano) x o número de meses trabalhados. Exemplo:

  • R$ 3 mil/12 = R$ 250. R$ 250 x 7 = o valor a receber será de R$ 1.750.

Observação: o exemplo não leva em consideração o 1/3 do salário e nem os descontos que o funcionário tinha em sua folha de pagamento. 

Conteúdos que você precisa conhecer

Antes de ir, que tal continuar sua jornada de conhecimento aqui na Foregon? Fizemos uma seleção especial para você:

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com o nosso conteúdo. Qualquer dúvida sobre o cálculo de férias, basta enviar sua pergunta aqui pra gente. Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Janaína Tavares

Jornalista e produtora de conteúdo, é Redatora na Foregon. Apaixonada por cinema e pelo mundo asiático, seu foco está em entregar textos úteis e inspiradores.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Carta de Negativação da Boa Vista: o que é?

  • Dicas financeiras

    Plataforma de Cobrança da Boa Vista: conheça essa solução empresarial

  • Dicas financeiras

    Score de crédito PF da Boa Vista: como consultar?

  • Dicas financeiras

    O que são os órgãos de proteção ao crédito?

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras