Foregon.comConteúdos

Como funciona o rendimento do CDB?

Por Janaína TavaresPublicado em
Compartilhe

Você quer se aprofundar mais em relação a investimentos para começar com o pé direito dentro deste universo? Neste artigo, vamos mostrar os principais detalhes que envolvem o Certificado de Depósito Bancário (CDB). Acompanhe a leitura do texto.

O que é CDB?

O Certificado de Depósito Bancário é um título emitido por bancos com o objetivo de captar dinheiro, além de ser um tipo de investimento de renda fixa.

Sua popularidade no mercado financeiro se deve principalmente por dois motivos: rentabilidade e segurança que ele oferece para os investidores.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como ele funciona?

Na prática, o CDB vai funcionar como uma espécie de empréstimo que você vai oferecer aos bancos. Essa captação serve, sobretudo, para financiar atividades da instituição financeira emissora, por exemplo, projetos, crescimento e pagamento de dívidas.

Em troca, o investidor irá receber uma taxa de rentabilidade que é definida no momento da compra. Vale lembrar que este investimento está na função de empréstimo, sendo assim existe a possibilidade de inadimplência caso você não pague da maneira que foi estabelecida.

Rendimento do CDB

Agora que você já está por dentro desses detalhes, está na hora de entender o rendimento do CDB. Portanto, ele é superior à poupança e pode ser dividido entre pós-fixado (atrelado ao CDI), prefixado (juro anual definido na compra) ou híbrido (juro fixo anual + a variação da inflação).

Pós-fixado

Considerado o tipo mais comum de CDB, sua taxa de rentabilidade está sempre atrelada a um indexador da economia, neste caso, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

Porém, o ponto negativo aqui é que os indexadores variam com o tempo, por isso, os rendimentos pós-fixados também podem oscilar até a data do vencimento. Isso significa que você só saberá quanto irá receber no prazo de resgate. 

Prefixado

Por outro lado, nos rendimentos prefixados você sabe exatamente quanto eles vão render. Vale ressaltar que a taxa de rentabilidade prefixada é uma remuneração fixa, ou seja, ela se mantém independentemente das condições do mercado. 

Híbrido

Por fim, apesar do rendimento híbrido ser mais raro, ele existe e geralmente é associado à inflação. Além disso, este tipo conta com uma taxa de rentabilidade composta por duas partes: uma com juros fixo anual e a outra, pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Vantagens 

  • Facilidade para investir;
  • Rendimentos acima de 100% do CDI;
  • Segurança na hora hora de investir nessa aplicação;
  • Diversificação;
  • Prazo de liquidez menor.

Desvantagens

  • Desconto do Imposto de Renda (IR) que pode variar entre 15% e 22,5% na data de vencimento do título;
  • É necessário ter, pelo menos, R$ 1 mil disponível para realizar esse tipo de investimento;
  • O resgate só pode ser feito na data de vencimento da aplicação.

Descomplicamos?

E aí? Gostou de conhecer mais a respeito desse tipo de investimento e como funciona seu rendimento? Para te ajudar ainda mais nesta jornada, temos o conteúdo ideal para você:

Deixe seu comentário aqui e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Janaína Tavares

Jornalista e produtora de conteúdo, é Redatora na Foregon. Apaixonada por cinema e pelo mundo asiático, seu foco está em entregar textos úteis e inspiradores.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Mibank: conheça

  • Dicas financeiras

    WhatsApp clonado: o que fazer?

  • Dicas financeiras

    Como calcular o valor de uma dívida?

  • Dicas financeiras

    O que é linha de crédito e como obter uma para sua empresa?

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras