Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Como manter os alunos engajados durante e após a pandemia?

Por Camila SilveiraPublicado em

Por mais que as escolas e faculdades tenham adaptado suas aulas para o universo digital (ensino à distância) durante a pandemia, tem sido muito difícil manter os alunos engajados no estudo. De acordo com especialistas, essa consequência surgiu devido ao período prolongado da paralisação das aulas presenciais e agora é mais que necessário reverter essa situação.

Os fatores que mais tornam essa rotina escolar do aluno complicada é a falta de autonomia e disciplina exigidas pela instituições de ensino e o acesso limitado, que muitas pessoas têm, à internet. Em vista disso, especialistas vêm reforçando a importância de gestores educacionais desenvolverem estratégias com foco em estudantes menos engajados.

Como engajar estudantes durante e após a pandemia?

A Organizing Engajament, plataforma especializada em conteúdos sobre educação, engajamento e igualdade, criou um material para ajudar as escolas acompanharem seus alunos durante e após a pandemia da Covid-19. Confira:

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Alunos engajados durante as aulas remotas

  • Assegure o acesso de todos os estudantes às atividades de ensino remotas;
  • Acompanhe frequentemente a participação dos alunos nas atividades não presenciais;
  • Entre em contato com aqueles que não estão ativos durante a aula;
  • Converse com os alunos e familiares para obter feedbacks sobre a atuação da escola;
  • Envolva os pais no engajamento dos filhos durante o estudo;
  • Cheque a presença de cada aluno diariamente, principalmente dos mais vulneráveis.

Alunos engajados na retomada de aulas presenciais

  • Realize a busca ativa dos alunos que não voltarem a frequentar escolas;
  • Defina uma forma de avaliação diagnóstica dos alunos e como será realizada a recuperação daqueles que apresentarem defasagem na aprendizagem;
  • Trace estratégias de acompanhamento dos alunos menos engajados;
  • Identifique os alunos que precisam de apoio financeiro e acione recursos de outras secretarias, como Assistência Social.

O que as instituições de ensino estão fazendo?

A escola Ana Costa Teixeira, localizada no estado do Ceará, desenvolveu um sistema para captar as opiniões dos estudantes por meio de um formulário online. De acordo com o diretor da instituição de ensino, Jhonata Paixão Tabosa, os alunos respondem semanalmente perguntas sobre suas necessidades e como estão se sentindo durante esse momento.

A partir desses feedbacks fornecidos pelos estudantes, a escola consegue aplicar estratégias para oferecer as melhores condições aos seus alunos.

A Unidade Escolar Hesíchia de Sousa Brito, localizada na zona rural da cidade de Piracuruca (PI), convidou a sua equipe para realizar um acompanhamento próximo dos acessos aos estudantes à plataforma desenvolvida para as aulas remotas. Segundo o diretor José Idelson de Brito, o objetivo principal é que os alunos não sejam desestimulados durante esse período.

Todos os dias, os colaboradores da escola emitem relatórios para a coordenação com a quantidade de acessos à plataforma e informações sobre o que os alunos estão acessando. Além disso, uma parte da equipe foi designada para entrar em contato com os familiares desses estudantes, caso haja algum problema.

Pós-pandemia

Além de ter atenção especial com os alunos durante a pandemia, é preciso traçar estratégias para a retomada de aulas, para que nenhum enfrente o problema de evasão. Será necessário avaliá-los, desenvolver métodos de recuperação para aqueles que apresentarem menos engajamento, acompanhar os alunos com propensão a evadir, entre outros exemplos.

Além desses fatores, será necessário ter atenção com alunos em situação de vulnerabilidade ou cuja família tenha passado por crises financeiras durante a pandemia.

De acordo com a ONG internacional, Human Rights Watch, o mais recomendado para o período pós-pandemia em termos de alunos é: oferecer apoio financeiro para as despesas escolares, como alimentação e transporte, às famílias que perderam renda durante a pandemia, pois, dessa forma, todos esses estudantes terão boas condições para voltarem a estudar.

Gostou do conteúdo?

Não se esqueça: os pais e responsáveis do estudante são peças fundamentais para superar esse desafio. Esperamos ter ajudado. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Trabalhador que recusar tomar vacina pode ser demitido por justa causa

PF deflagra operações contra fraudes no Auxílio Emergencial

Fase emergencial da quarentena no estado de SP: o que muda?

3 coisas que as empresas estão fazendo para superar a crise do Covid-19

5 princípios que devemos aprender em momentos de crise

O Auxílio Emergencial vai voltar em 2021?

Conheça o ‘Auxílio Emergencial’ para moradores da cidade de Belém

O que é necessário para receber a vacina contra o coronavírus?