Foregon.comConteúdos

Como migrar de MEI para ME: aprenda passo a passo

Por Claudia BorgesPublicado em
Compartilhe

Começar um negócio próprio é um sonho para muitas pessoas. Alguns começam pequenos e acabam se enquadrando na categoria de MEI (microempreendedor Individual) mas quando o negócio vai bem e precisa migrar para uma categoria acima, o que fazer?

Por que mudar para ME?

Uma empresa que se enquadra na categoria MEI tem algumas regras, como poder contratar apenas 1 funcionário e faturar anualmente menos que R$ 81.000,00, dentre outras regras que podem ser conferidas no portal do empreendedor. Se deixar de cumprir alguma dessas normas, a empresa passa para a categoria de Micro Empreendedor. 

Micro Empreendedor

Para a empresa classificada como ME ( Micro Empreendedor) as regras mudam:

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20
  • Faturamento anual menor que R$ 360.000,00;
  • Contrato registrado em uma junta comercial;
  • Optar por um regime tributário dentre os disponíveis ( Simples Nacional, Lucro Presumido ou o Lucro Real);
  • Sem limites para contratação de colaboradores;
  • Não tem restrição de atividades.

Como fazer a transição de MEI para ME

Essa mudança é um processo que precisa de muita atenção em todos os passo. Parece complicado, mas vamos deixar bem explicado.

Pagamento de taxas

O primeiro passo é fazer o recolhimento do DAS até dezembro do ano corrente e, então, fazer outro recolhimento de DAS complementar referente ao valor que ultrapassou os R$ 81.000,00 permitidos para MEI. O valor de recolhimento da DAS complementar deve ser de acordo com a tabela abaixo:

  • Valores entre R$ 60 mil e R$ 72 mil: a data de vencimento será 20 de janeiro do ano seguinte, data de vencimento do SuperSimples. Após esta data, as alíquotas recebidas serão conforme o Simples para ME, com taxas que variando entre 4% e 6%, a depender do faturamento obtido e da atividade exercida;
  • Valores acima de R$ 72 mil: a diferença deve ser paga de forma retroativa, de janeiro do ano anterior até a data de registro do novo faturamento, a alíquota cobrada dependerá do valor faturado, não podendo exceder o valor máximo de R$ 360.000,00 ( teto para empresas categoria ME).

Descredenciamento MEI

Feito o pagamento das taxas devidas, a próxima coisa a fazer é solicitar o descredenciamento como MEI. O descredenciamento só será validado caso não haja nenhuma pendência. Após o pedido, o CNPJ é retirado imediatamente do SIMEI e passado para o Simples Nacional. 

Importante: uma vez descredenciado o CNPJ só poderá voltar para MEI 1 ano depois, então pense bem antes.

Alteração na Junta Comercial

Agora é preciso comunicar a Junta Comercial do seu estado. Apresente os seguintes documentos ao presidente da Junta:

  • Comunicação de desenquadramento do SIMEI;
  • Formulário de desenquadramento;
  • Requerimento do empreendedor.

Dados da empresa

Por fim chegamos no ultimo passo, que é alterar os dados cadastrais da sua empresa na Junta Comercial. Você deve atualizar Razão Social e Capital Social e deixar registrado na Junta Comercial.

Feitos todos os passos você já será um empresário ME.

Restou alguma dúvida? Conta para gente aqui nos comentários, vamos adorar conversar com você.

Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe nas suas redes sociais

Claudia Borges

Estudante de Jornalismo e estagiária de Redação na Foregon. Alia seu conhecimento na área administrativa com sua paixão por escrever e sempre busca agregar conhecimento em seus textos.

Ver todos os posts

Leia a seguir

  • Dicas financeiras

    Passagem aérea mais cara: saiba como economizar na próxima viagem

  • Dicas financeiras

    Funcionário com contrato suspenso deve ter período de férias adiado

Ver mais conteúdos

Veja o que estão comentando

Principais conteúdos

Principais assuntos

  1. Home
  2. Conteúdo
  3. Dicas financeiras