Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Como se organizar para limpar o nome?

Por Janaína TavaresPublicado em

Se você está disposto a mudar seus hábitos financeiros e limpar o nome, saiba que é essencial ter um controle mais rígido das suas finanças pessoais, além de eliminar o máximo possível de gastos supérfluos.

Fora isso, outras dicas também sempre são bem-vindas nesse momento. Por isso, neste artigo, você vai conferir quatro passos essenciais que toda pessoa com o nome sujo deve seguir para conseguir regularizar a sua situação no mercado de crédito.

Organize-se financeiramente para limpar o nome

Siga atentamente todas as nossas instruções e não esqueça de anotá-las, caso sinta necessidade:

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

1. Monte seu planejamento financeiro para limpar o nome

Você já deve ouvido falar do famoso planejamento financeiro em algum de nossos conteúdos, mas se ainda não, fique tranquilo! Esse item nada mais é do que um controle eficaz de todas as entradas e saídas do seu dinheiro.

É com ele que você vai conseguir visualizar todos os seus gastos e identificar tudo aquilo que pode ser cortado para equilibrar o seu orçamento. Sendo assim, monte o seu planejamento financeiro agora mesmo.

2. Consulte seu CPF com frequência para limpar o nome

Para facilitar esse processo e descobrir exatamente o que e para quem você está devendo, conte com os órgãos de proteção ao crédito que oferecem consulta de CPF gratuitamente.

Se você construir o hábito de fazer esse tipo de consulta, será possível se prevenir contra fraudes e golpes em seu nome, além como ter a oportunidade de checar mais informações a respeito do seu Cadastro de Pessoa Física. Quer saber como fazer isso? Acesse o artigo:

3. Negocie com a empresa credora

Assim que você identificar todas as suas pendências financeiras com a ajuda do seu planejamento financeiro e com a consulta de CPF, o próximo passo é buscar negociar os débitos com a empresa credora de uma forma amigável e honesta.

isso significa que não compensa fechar um acordo que não será vantajoso para as duas partes. Portanto, o segredo é dialogar com bastante calma e chegar em um consenso que útil tanto para você como para a empresa.

Importante: fique atento aos possíveis descontos oferecidos pelas empresas. Muitas delas disponibilizam acordos vantajosos nesse sentido.

4. Pague suas dívidas para limpar o nome

Concluídas essas etapas, o passo seguinte é pagar as dívidas e limpar o nome com as condições disponibilizadas pela empresa credora.

Neste caso, já tenha em mente como você deseja fazer o pagamento desse débito e não se esqueça de separar mensalmente o valor para manter o acordo.

Caso aconteça algum imprevisto que impossibilite o pagamento da dívida, avise a empresa credora imediatamente para ver o que pode ser feito para você não ser prejudicado.

Depois que a dívida estiver paga, o credor deve solicitar a retirada da restrição do seu nome em até cinco dias úteis.

Porém, vale destacar que após cinco anos, sua dívida prescreve e deve ser retirada dos birôs de crédito. Ela ainda existe, mas não pode mais constar no banco de dados desses órgãos.

Limpou o nome e agora?

Com o nome limpe, seu CPF não terá mais nenhuma pendência financeira. Ou seja, você pode obter crédito no mercado. Contudo, o seu score de crédito pode demorar um pouco para voltar a ter uma boa pontuação.

Além disso, outros fatores podem influenciar na concessão de crédito mesmo como o nome limpo como, por exemplo:

  1. Dados desatualizados;
  2. Dívidas retiradas dos órgãos de proteção ao crédito apenas após o prazo de cinco anos;
  3. Histórico de consultas recorrentes do CPF por outras empresas;
  4. Quitação de dívidas com desconto após processo revisional;
  5. Nome registrado no SPC, Serasa ou Boa Vista anteriormente.

Nesse sentido, você pode aguardar mais um pouco e focar em construir um bom histórico de pagador.

Vale a pena limpar o nome?

Limpar o nome traz inúmeros benefícios para sua vida financeiro, começando pelo fato de que você terá uma relação mais saudável e de confiança com os bancos e instituições financeiras.

Com isso, você também tem a chance de desenvolver ao longo do tempo um status de consumidor positivo.

Dessa maneira, você terá acesso a produtos e serviços financeiros com taxas de juros mais baixas e que condizem com o seu perfil de consumidor.

Conteúdos que você precisa conhecer

Que tal aproveitar esse momento para ler outros artigos da Foregon? Selecionamos alguns para você:

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com as nossas dicas. Em casos de dúvidas ou sugestões, não esqueça de enviar seu comentário para que possamos responder. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Cartão Méliuz: ganhe dinheiro de volta em todas as compras

Banco Inter: saiba como ganhar cashback assistindo filmes

Reconhecimento de firma: o que é e como é feito?

Saiba como cadastrar o Google Pay no aplicativo Nubank

O SCR é igual ao SPC/Serasa e Cadastro Positivo?

Nubank: saiba como gerar o boleto do cartão de crédito no site

Conheça 14 funções do WhatsApp que facilitam o uso do aplicativo

5 dicas para começar a economizar dinheiro