Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Compras em supermercados online quase dobraram após o coronavírus

Por Camila SilveiraPublicado em

O isolamento social provocado pelo coronavírus fez com que diversas pessoas precisassem se adaptar a uma nova rotina. A busca por alimentos e produtos de higiene em sites de supermercados foi uma das mudanças no comportamento, no entanto, o setor ainda estava se adaptando ao comércio online no momento em que a procura por delivery aumentou.

Compras em supermercados online quase dobraram

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Ebit/Nielse, entre os dias 19 e 25 de março, o crescimento de compras em supermercados online foi de 96%. No mesmo período, todo o comércio digital subiu 13% e a participação dos mercados no setor foi de 4% para 7%. 

Já no período de 23 a 29 de março, as compras em supermercados online apresentou um crescimento de 107% em São Paulo, epicentro da Covid-19 no país. Esses são dados estudados pela Associação Paulista dos Supermercados (Apas).

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Segundo a operadora de cartão de crédito Elo, as compra feitas pela rede em lojas virtuais de supermercados aumentaram em 45% em 1º de abril. A operadora chegou nesse resultado a partir de uma comparação com a média dos dias 5 de janeiro até 22 de fevereiro, período que antecede a chegada da Covid-19.

Demora e falta de produtos em sites de supermercados

O setor de supermercados ainda estava se adaptando ao comércio online, até porque essa nunca foi a sua principal fonte de renda. Alguns especialistas afirmam que as vendas digitais representam entre 1% e 5% do faturamento do setor (Informação retirada do site G1 Globo.com). e isso explica a demora e falta de produtos em alguns sites de supermercados.

Além da demora na entrega de produtos, houve a falta de disponibilidade deles no site e isso intrigou bastante os consumidores. Em muitos casos, as lojas físicas possuíam o alimento, enquanto o e-commerce não.

A justificativa dada foi que cada empresa atua de uma forma e utiliza centros de distribuição específicos para compras online. Para reverter a situação, os supermercados precisariam usar a loja mais próxima do consumidor para realizar as entregas e, assim, ter mais eficácia em seus serviços de delivery.

Gostou do conteúdo?

Esperamos ter ajudado você a entender mais sobre esse assunto! Qualquer dúvida, deixe um comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Liberado novo saque da 4ª parcela do Auxílio Emergencial: veja como sacar

SP Acolhe: saiba tudo sobre o auxílio de R$ 300 e veja como se inscrever

Governo de SP inicia pagamentos do ‘Vale Gás’ e ‘SP Acolhe’. Veja como sacar

Prorrogação do Auxílio Emergencial 2021: o que mudará?

Pagamento da 4ª parcela do Auxílio Emergencial é antecipado: veja as datas

Confirmado: governo anuncia prorrogação do Auxílio Emergencial até outubro de 2021

Terapia popular: opções gratuitas que promovem saúde mental e financeira

Governo de SP pagará auxílio de R$ 300 a parentes de vítimas do Covid-19