Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Conheça os mitos sobre o pagamento por aproximação

Por Sabrina VansellaPublicado em

O pagamento por aproximação facilitou a forma de pagamento, e por medo de contaminação trouxe maior segurança em tempos de pandemia.

O dinheiro em espécie é cada vez menos utilizado e os cartões se tornam a principal forma de pagamento. Porém, muitos mitos rodeiam esta novidade, e por isso, vamos desmistificar a tecnologia.

O medo mais comum está relacionado a clonagem do cartão, mas surpreendentemente o pagamento por aproximação pode ser considerado mais seguro do que o tradicional.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Como funciona o sistema de pagamento por aproximação?

A tecnologia só consegue acontecer graças a chamada NFC que significa no português " comunicação por campo de proximidade".

Basicamente, suas informações são transmitidas como um código sem precisar de contato ou senha, mas saiba que esta prática acontece de forma que somente a maquininha e o seu cartão ou dispositivo se conversam por códigos criptografados.

Os cartões que apresentam essa possibilidade, geralmente, possuem um limite de valor com pagamentos por aproximação, para maior segurança. Nos cartões da Mastercard é de R$ 100 e nos da VISA de R$ 50. Em valores acima, é necessário inserir a senha.

Confira os mitos mais comentados sobre o pagamento por aproximação:

Corro risco de meu cartão ser lido acidentalmente?

Mito. É bastante improvável isto acontecer, pois o contato entre a maquininha e o cartão contactless deve ser muito próxima, praticamente encostada no seu bolso ou bolsa.

Então, uma compra só é efetuada se o pagamento for feito na posição e distância correta (entre 2,5 e 5 centímetros).

Porém, em lugares com aglomerações, como festas e eventos, é possível desativar esta opção de pagamento no aplicativo para evitar preocupações.

Meu cartão pode ser clonado pela maquininha?

Mito. Como foi explicado anteriormente, o cartão por aproximação é seguro pois as informações são protegidas por criptografia e gera um número exclusivo de pagamento específico para cada transação.

Por isso, é praticamente impossível um fraudador conseguir copiar a criptografia empregada, além do mais, as transações via contactless não disponibilizam informações sobre o usuário. Como por exemplo o CVV, o código de verificação que está localizado no verso do cartão.

Qualquer cartão tem esta função ativada?

Mito. Mesmo que a cada dia esta função está sendo aderida em novos cartões, ainda existe cartões que não possuem esta tecnologia. E não é uma função que pode ser ativada, deve ser solicitado para o banco emissor uma opção com o pagamento por aproximação.

Geralmente, os cartões que possuem a tecnologia possuem o símbolo das quatro ondas, remetendo a transmissão sem fio.

Corro risco de pagar a compra de outra pessoa em uma fila?

Mito. Mesmo em uma fila é impossível que você pague pela compra de outra pessoa. Pois a aproximação do cartão com a maquininha deve ser muito próxima. Então fique tranquilo, e cheque o valor na hora que for aproximar.

Descomplicamos?

Esperamos ter descomplicado suas dúvidas sobre o assunto. Deixe um comentário ou uma sugestão. E não esqueça de curtir! Até a próxima.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Imposto de renda: saiba como sair da malha fina

Aumento da energia: saiba quais são os vilões da conta de luz

Aneel aciona bandeira vermelha em patamar 2 e impacta economia brasileira

Organizze: veja o passo a passo de como usar o aplicativo para controlar suas finanças

A melhor forma de utilizar o dinheiro da restituição do IR 2021

Cashback: guia completo

Dia dos namorados: como economizar?

5 dicas para você cuidar do seu dinheiro e gastar sem culpa