Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Consórcio x financiamento: guia completo

Thais SouzaPublicado em

Adquirir a casa ou carro próprio é o plano de grande parte dos brasileiros. Porém, por se tratar de bens de alto valor agregado, comprar à vista nem sempre é uma opção. Nesse quesito, existem duas alternativas de se fazer este investimento: através do financiamento ou consórcio.

As duas opções podem ser vantajosas, mas isso vai depender dos seus objetivos na hora de adquirir o bem. Por isso, é essencial que seja feita uma análise minuciosa de qual será o impacto que a decisão vai causar no orçamento.

Neste guia completo você vai entender melhor como funciona o consórcio e o financiamento, suas taxas, vantagens e diferenças. Assim, será mais fácil escolher qual a opção ideal para seu momento de vida e necessidades. Vamos lá?

Você encontra nesse artigo:

O que é consórcio e como funciona?

O consórcio é um método de compra colaborativa que conecta pessoas com a finalidade de formar poupança para a aquisição de bens móveis, imóveis ou serviços. Existem diversos tipos de consórcio, como: de imóveis, automóveis, veículos pesados, máquinas agrícolas e até para pagar viagens, formaturas, cirurgias plásticas, cursos de graduação e pós-graduação.

Nessa modalidade de compra, uma administradora de consórcios autorizada e fiscalizada pelo Banco Central forma um grupo de pessoas que têm interesse em adquirir bens semelhantes.

Após a formação do grupo, os membros realizam pagamentos mensais e no final do prazo estipulado, ou até antes por meio de sorteios e lances, o valor será liberado através da carta de crédito para a compra do seu carro ou imóvel.

Todos os meses acontecem os sorteios através das assembleias. Nesses eventos, alguns integrantes do grupo são contemplados e recebem o valor integral para a compra do bem ou serviço, essa contemplação se chama carta de crédito.

Ao final do grupo, através de sorteio ou lance, todos os integrantes terão recebido suas cartas de crédito para a compra do bem desejado. Porém, há a possibilidade de você só ser contemplado no final.

Como antecipar a contemplação no consórcio?

Se você não for o sorteado nas assembleias, pode optar por aumentar as suas chances ofertando lances. Eles servem para antecipar a contemplação e, basicamente, você paga um valor a mais, além da sua parcela mensal do consórcio. Há três tipos de lance:

  • Lance livre: o consorciado oferta qualquer valor entre a taxa mínima e o custo total das mensalidades restantes;
  • Lance fixo: a administradora de consórcio define uma cota fixa para o lance para aumentar as chances de empate. Nesse caso, a contemplação sai para quem tem o número da cota mais próximo ao número sorteado;
  • Lance embutido: você usa uma parte da sua carta de crédito, ou seja, o valor total do bem como lance para aumentar as chances de contemplação. Porém, quanto mais lances embutidos você fizer, menor a quantia total recebida na contemplação.

Poucas pessoas sabem, mas em casos de consórcio de imóveis, é possível usar o FGTS para dar lances ou para somar-se ao valor da carta de crédito, caso o consorciado queira comprar um bem mais caro. Além disso, também dá para usar os recursos do fundo para quitar ou amortizar o saldo devedor.

E os juros do consórcio?

A maior vantagem do consórcio é que não são cobrados juros para o parcelamento e também não é necessário dar entrada.

A operadora do consórcio cobra apenas uma taxa de administração em cada parcela. Essa taxa é a remuneração da administradora, usada para manter a sua infraestrutura funcionando e permitir a boa gestão dos recursos de todos os consorciados.

Além da taxa de administração, algumas administradoras de consórcio cobram o seguro e o fundo de reserva. Entenda mais sobre essas cobranças:

  • Seguro: o seguro de vida incluso no consórcio paga as prestações do plano em caso de falecimento de um membro do grupo;
  • Fundo de reserva: taxa cobrada por algumas instituições como garantia durante o consórcio. Porém, o valor pago é devolvido aos consorciados no final do período.

Contemplação

Ao ser contemplado, com a carta de crédito em mãos, o consorciado pode escolher o bem que deseja adquirir, dentro da categoria do seu grupo. A carta de crédito equivale a dinheiro à vista, portanto, o contemplado tem maior poder de negociação no momento da compra.

Assim, ele vai comprar o bem no valor à vista e continuar pagando as parcelas do consórcio até o fim do contrato.

O que é financiamento e como funciona?

O financiamento é um modelo de compra em que o cliente e uma instituição financeira fazem um acordo para a aquisição de um bem. Neste caso, os bancos liberam uma quantia em dinheiro para a compra do bem, geralmente automóveis, motos, imóveis e terrenos.

Se o financiamento for aprovado, o banco paga para o vendedor do bem, à vista, o valor total ou uma parte do valor de compra. Em contrapartida, o contratante assume a dívida e paga para o banco de forma parcelada.

Ou seja, a instituição financeira intermedeia a realização dos projetos, cobrando juros e tarifas pelo serviço prestado e pelo crédito concedido. O financiamento é muito parecido com um empréstimo bancário. A diferença é que as taxas costumam ser mais acessíveis.

Além das parcelas mensais, nas quais ocorrem cobranças de juros, para obter o financiamento o comprador precisa dar um valor de entrada estipulado pelo banco em contrato.

Quais as diferenças entre consórcio e financiamento?

Consórcio

  • Não possui juros;
  • Não é preciso dar entrada;
  • Parcelamento integral;
  • Variedade de prazos e parcelas;
  • Maior poder de compra do bem à vista;
  • Possibilidade de acelerar o crédito por meio de lances;
  • Flexibilidade do uso do crédito;
  • Ao assinar contrato com uma empresa registrada no Banco Central, você terá a garantia contra perdas financeiras;
  • As administradoras de consórcios são as empresas que mantêm esse tipo de operação;
  • Não é necessário determinar o bem que deseja adquirir no momento da adesão ao plano, somente a categoria;
  • Se você deixar de pagar as parcelas, pode ser excluído do grupo.

Financiamento

  • É possível comprar o bem imediatamente após ter o financiamento aprovado;
  • Caso consiga amortizar antecipadamente a dívida, poderá ter desconto dos juros nas últimas parcelas;
  • O contrato é feito com os bancos;
  • No financiamento, é preciso informar ao banco o bem específico que você quer adquirir por meio do crédito no momento da contratação;
  • Se você deixar de pagar as parcelas, perde o bem para o banco.

Financiamento ou consórcio: qual escolher?

Tudo depende do dinheiro que você tem disponível e do tempo que pode esperar para adquirir o bem. No consórcio, você tem acesso ao crédito para a aquisição do bem desejado somente após a contemplação, em que você pode ser o primeiro ou o último do grupo a ser sorteado.

Portanto, se você tem pressa de adquirir o bem, o ideal é optar pelo financiamento. Em contrapartida, o consórcio vai sair bem mais barato, já que não há cobrança de juros.

Já no financiamento, caso você tenha sua solicitação aprovada, o valor é liberado na hora. Então o banco compra o bem e você paga mensalmente para ele. Essa é uma boa opção para quem está com pressa para adquirir a compra e tem um valor guardado para dar de entrada.

Vale lembrar que não existe uma modalidade melhor que a outra. O consórcio ou financiamento são válidos, mas cabe a você pesar os prós e contras. Mas independentemente da sua decisão, o ideal é fazer um planejamento financeiro antes de contratar uma dívida a longo prazo.

Perguntas frequentes (FAQ)

Posso fazer consórcio com o nome sujo?

Sim, é possível fazer um consórcio mesmo estando negativado. Mas, é indispensável manter os pagamentos em dia para participar das assembleias e sorteios. Além disso, será necessário passar por procedimentos de análise para receber a carta de crédito quando for contemplado. Portanto, o mais importante é avaliar sua capacidade de pagamento antes de entrar em um consórcio. Ao contrário, ficará de fora dos sorteios.

Posso fazer financiamento com nome sujo?

No caso de financiamentos, os bancos fazem uma ampla análise de crédito antes de aceitar o seu financiamento. Dificilmente você terá a solicitação aprovada se estiver com o nome sujo, mas não é impossível de conseguir. Porém, mesmo que o banco te aprove, os juros serão bem mais altos para você, do que para pessoas com o nome limpo. Em casos de financiamento imobiliários, há uma alternativa! Pessoas com nome em listas de restrição de crédito do Serasa ou do SPC podem financiar imóveis pelo programa Minha Casa Minha Vida.

Quando tempo demora a análise de crédito dos bancos em financiamentos?

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o tempo médio que os bancos levam para liberar o financiamento é de 40 dias.

Como conseguir juros menores no financiamento?

O ideal é manter um bom relacionamento com o seu banco. Pague suas contas em dia, movimente seu dinheiro na conta e utilize o cartão com frequência. Assim, quanto melhor for seu histórico com o banco, mais as chances de você conseguir bons juros. Mas não se prenda somente ao seu banco, pesquise muito, compare taxas, negocie!

Quais documentos necessários para comprovar minha renda ao solicitar crédito?

Sua comprovação pode ser feita através de holerites, extratos bancários, IR, entre outros. Os documentos a serem apresentados também podem variar de acordo com a exigência da instituição bancária.

Quais documentos necessários para contratar consórcio?

RG, CPF e comprovante de residência.

Como entrar em um plano de consórcio?

Há três formas: procurar um grupo já formado em que haja cotas vagas, ocupar o lugar de um cotista que desistiu ou comprar a cota de um participante por meio de transferência.

Posso vender um imóvel ou veículo financiado?

Sim, você pode vender o bem à vista e quitar o financiamento ou transferir as parcelas do financiamento para o comprador, mas neste caso, há vários riscos.

Descomplicamos?

Esperamos que este artigo tenha sido útil para tirar as suas dúvidas e ajudá-lo a escolher a melhor forma de pagamento para a aquisição do seu bem. Se ainda restou alguma dúvida, deixe seu comentário abaixo.

Não se esquela de seguir a Foregon no canal do YouTube e também nas redes sociais, Facebook e Instagram, para ficar por dentro das notícias e novidades em primeira mão. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Instagram como ferramenta de negócios: guia completo

Como recarregar Bilhete Único pelo celular?

PicPay: como fazer cobranças pelo aplicativo?

Caixa abre 10 mil vagas de emprego para concursados, estagiários e aprendizes

Open Banking ou Open Finance: o que você precisa saber sobre esses sistemas

Não consegue guardar dinheiro? Conheça a “poupança por assinatura”

Golpe da revisão do INSS: veja como se proteger

Quer mudar de carreira? Confira essas dicas para trocar de profissão