Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Contribuição ao INSS 2021 mudará: veja o quanto você vai pagar

Por Thais SouzaPublicado em

O teto dos benefícios pagos pelo INSS em 2021 sofreu reajuste de 5,45% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Com isso, o valor da contribuição paga pelos beneficiários mudará em fevereiro deste ano. Continue a leitura para entender como vai funcionar.

Contribuição ao INSS 2021 mudará

O reajuste de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57 do teto dos benefícios pagos pelo INSS vai influenciar nas faixas de contribuição dos empregados que têm carteira assinada, domésticos e trabalhadores avulsos. 

Com o reajuste de 5,45%, os trabalhadores que ganham menos vão ter que contribuir com menos para o INSS, assim como quem ganha mais, também terá que pagar mais.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Outra mudança é que as taxas passaram a ser progressivas após a Reforma de Previdência. Portanto, só serão cobradas sobre a parcela do salário que se enquadrar em cada faixa. Assim, o percentual de fato descontado do total dos ganhos será menor.

Por exemplo: se você recebe mais que um salário mínimo em 2021, deverá pagar 7,5% da alíquota de contribuição sobre R$ 1.100, além do percentual que exceder esse valor. Confira a tabela abaixo para entender melhor. 

Novos valores pagos ao INSS em 2021

Como era em 2020

  • Até R$ 1.045: 7,5%;
  • De R$ 1.045 a R$ 2.089,60: 9%;
  • De R$ 2.089.61 a R$ 3.134,40: 12%;
  • De R$ 3.134,41 a R$ 6.101,06: 14%.

Como ficou em 2021

  • Até R$ 1.100: 7,5%;
  • De R$ 1.100,01 a 2.203,48: 9%;
  • De R$ 2.203,49 a R$ 3.305,22: 12%;
  • De R$ 3.305, 23 a R$ 6.433,57: 14%.

Vamos supor que você receba R$ 1.500 ao mês. Nesse caso, terá que pagar 7,5% sobre o teto de R$ 1.100, que é equivalente a R$ 82,50, mais 9% sobre os R$ 400, que é o excedente, equivalente a R$ 36. Portanto, a sua contribuição ao INSS será de R$ 118,50.

Já os trabalhadores que ganham mais, também contribuirão com mais. Segue um exemplo de uma pessoa que recebe R$ 4.500:

  • Paga 7,5% sobre R$ 1.100: R$ 82,50 de contribuição;
  • Mais 9% sobre R$ 1.103,48 (diferença de R$ 2.203,48 de R$ 1.100): R$ 99,31;
  • Mais 12% sobre R$ 1.101,74 (diferença de R$ 3.305,22 de R$ 2.203,48): R$ 132,21;
  • Mais 14% sobre R$ 1.194,78 (diferença de R$ 4.500 de R$ 3.305,22): R$ 167,27;
  • Total de contribuição: R$ 481,29.

Os novos valores deverão ser recolhidos apenas em fevereiro, pois são relativos aos salários de janeiro. Os recolhimentos relativos aos salários de dezembro de 2020 e efetuados em janeiro deste ano ainda seguem a tabela anterior.

Descomplicamos?

Ficou com alguma dúvida sobre o reajuste na contribuição ao INSS em 2021? Deixe seu comentário abaixo que entraremos em contato. Até a próxima! 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Covid-19: Câmara aprova isenção de Imposto de Renda para pessoas com sequelas da doença

Facebook renova linha Portal, o novo dispositivo de videochamada

Nubank permitirá que seus clientes tenham mais de um cartão virtual

Open banking: BC define dados que precisam ser detalhados na fase 4

Gás de cozinha: fogão a lenha volta a ser mais usado por brasileiros

Novo Bolsa Família começa a ser pago em novembro

Shell planeja investir R$ 3 bilhões em energia renovável no Brasil

Cibercrimes: Brasil é o 5º maior alvo global de ataques de hackers