Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Copom eleva Taxa Selic a 3,50% ao ano: veja as consequências para economia

Por Thais SouzaPublicado em

No último dia 5 de maio, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) elevou novamente a taxa básica de juros da economia Brasileira, a Selic. A estimativa dos economistas do mercado financeiro é que ela continue subindo e, até o final de 2021 chegue a 5% ao ano.

Copom eleva Taxa Selic para 3,50% ao ano

O Banco Central decidiu subir a Taxa Selic de 2,75% para 3,50% ao ano. A decisão do Copom já era esperada pelos economistas do mercado financeiro e a previsão é que suba ainda mais até o final desde ano.

O motivo da alta na taxa básica de juros da economia brasileira é tentar controlar a inflação no país, que já avançou 6,10% em 12 meses. Esse foi o segundo aumento consecutivo da taxa.

Além de elevar a Selic, o Banco Central também deixou em aberto a possibilidade de um aumento da mesma magnitude na próxima reunião, de 0,75%. As reuniões do Copom acontecem a cada 45 dias e se o comitê decidir aumentar a Selic novamente em junho, os juros saltarão para 4,25% ao ano.

Consequências da Taxa Selic a 3,50% ao ano

As consequências do aumento da Taxa Selic para a economia brasileira são muitas, algumas boas e a maioria ruins. Confira abaixo:

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

  • Diminui o poder de compra da população: uma Taxa mais alta faz com que a população consuma menos, impactando diretamente o emprego e a renda;
  • Impede que a inflação suba mais ainda: aumentar a Selic causa uma desaceleração da economia, impedindo que a inflação fique muito alta;
  • Reflexos nos juros cobrados pelos bancos: os bancos cobram juros mais altos para a contratação de serviços financeiros, como empréstimos e financiamentos;
  • Remuneração de investimentos aumenta: os títulos públicos indexados à Taxa Selic passam a oferecer uma remuneração maior. Ou seja, investimentos como: Tesouro Direto, CDBs e outras aplicações em Renda Fixa atreladas à Selic ou ao CDI passam a pagar mais do que antes.

Leia também

No blog da Foregon você fica por dentro de todas as notícias relacionadas ao mercado financeiro. Aproveite e leia também:

Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Inter oferece 12% de cashback nas compras feitas na Amazon

Banco do Brasil lança financiamento de iPhone em até 60X

Caixa reduz parcelas de financiamento durante licença maternidade

FGTS poderá ser utilizado para compra de casa popular em 2023

Foregon marca presença no StartupON compondo time de empreendedores da região Oeste do Estado de São Paulo

Ganhe 4% de investback com o cartão XP para abastecer seu veículo

Auxílio Brasil cancelado: conheça os principais motivos

Distrito e Foregon promovem um seminário gratuito sobre Educação Financeira para negócios