Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Dicionário financeiro: conheça os 5 principais termos sobre financiamento imobiliário

Por Thais SouzaPublicado em

De acordo com estudo divulgado pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), em 2021, o financiamento imobiliário cresceu perto de 30% em um ano. Trata-se de uma das linhas de crédito mais populares entre os brasileiros. 

Mesmo assim, muitas dúvidas ainda podem surgir, principalmente em relação aos termos e expressões utilizadas dentro do financiamento de imóveis. Por isso, neste artigo vamos descomplicar esse assunto para você. 

Significado dos 7 principais termos sobre financiamento imobiliário

1. Análise de crédito

Após a análise cadastral, que é a checagem dos seus documentos fornecidos à instituição financeira, será feita a análise de crédito, um processo que avalia se você tem condições de arcar com o financiamento imobiliário, evitando o risco de assumir uma dívida que não vai conseguir pagar no futuro.

Existem diversos fatores estudados durante a análise de crédito, sendo que os principais são: o score de crédito do contratante, restrições, perfil de crédito e comprovante de renda. Caso você precise de um avalista, o banco ou instituição financeira também fará a análise cadastral e análise de crédito dele. 

2. Avaliação do imóvel

A avaliação do imóvel é um processo feito por um profissional do banco ou instituição financeira que vai até o imóvel no qual você pretende financiar para verificar as condições dele, o valor de mercado e se ele se encaixa no seu perfil financeiro.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Normalmente, a vistoria de imóvel é um serviço cobrado, mas a taxa pode variar de uma instituição financeira para outra. 

3. Alienação fiduciária

A alienação fiduciária é muito comum em contratos de empréstimo com garantia ou financiamentos. No caso do financiamento imobiliário, a alienação fiduciária nada mais é do que deixar o imóvel no nome da instituição financeira até que você consiga quitar a sua dívida. 

O imóvel continua sendo seu e você poderá residir nele, mas só deixara de ficar alienado ao banco no momento em que você quitar todo o contrato. Caso você não consiga pagar as parcelas do financiamento, a instituição financeira pode vender o seu imóvel para cobrir o saldo devedor. 

Portanto, trata-se de uma garantia que a instituição financeira tem de que você irá arcar com toda a sua dívida. 

4. Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

O SFH é um sistema criado pelo governo com o objetivo de facilitar a construção e a compra de imóvel próprio, principalmente pela população de menor renda.

No SFH, os juros do financiamento imobiliário são de 12% ao ano + Taxa Referencial (TR). Além disso, é possível utilizar os recursos do seu FGTS  para pagamento de parte do valor do financiamento.

Neste sistema, o valor do imóvel financiado deve ser de no máximo R$ 1,5 milhão e as parcelas do não podem passar de 30% da renda familiar. Outra regra é que o contratante só pode financiar até 80% do valor do imóvel.

5. Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI)

O Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), criado em 1997 pela Lei 9.514, oferece opções mais flexíveis que o SFH, com várias possibilidades para os compradores de imóveis. Os casos que não se enquadram nas condições do Sistema Financeiro da Habitação podem recorrer ao Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI). 

Nesta modalidade, não há teto máximo para os imóveis, ou seja, pode enquadrar valores maiores de R$ 1,5 milhão e financiar até 100% do valor do imóvel. Confira as principais características e relação ao SFH: 

  • O SFI não permite o uso do FGTS para pagamento de parte do valor do financiamento;
  • Mais flexível e atende pessoas jurídicas;
  • Você pode financiar até 100% do valor do imóvel; 
  • Não há limite no valor do financiamento, nem no preço do imóvel;
  • As partes envolvidas terão maior flexibilidade para negociar taxas de juros e prazos de pagamento;
  • Com a alienação fiduciária como garantia, aumentam os riscos de perda do imóvel em função da inadimplência.

E aí, gostou do conteúdo?

Agora que você já sabe o significado dos principais termos e expressões que envolvem o financiamento imobiliário, que tal encontrar a menor taxa para contratar?

Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Refinanciamento de empréstimo consignado: entenda

Como posso refinanciar um crédito consignado?

Financiamento: quando vale a pena antecipar as parcelas?

Financiamento de veículo do Banco Daycoval: conheça e veja como contratar

Dicionário financeiro: conheça os 5 principais termos sobre financiamento imobiliário

C6 Bank: conheça o financiamento de veículos do banco digital

Crowdfunding: descubra o que é e como ganhar dinheiro com financiamento coletivo

Financiamento de veículos Itaú: conheça e veja como contratar