Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Diversificação de investimentos: como realizar essa estratégia em 5 passos

Por Camila SilveiraPublicado em

A diversificação de investimentos é muito recomendada pela grande maioria dos especialistas, visto que essa estratégia reduz riscos e aumenta a rentabilidade.

Na Bolsa de Valores brasileira, a B3, o investidor tem à disposição uma série de produtos para compor uma carteira mais diversificada e invulnerável a possíveis oscilações do cenário que impactam o mercado.

As opções são muitas: ações de empresas que realizaram seus IPOs e possuem seus papéis negociados na Bolsa; títulos do Tesouro Direto com muitos tipos de remuneração, fundos imobiliários, ETFs de índices locais e globais, BDRs de ativos estrangeiros, além de produtos de Renda Fixa, como CDBs, LCIs, LCAs.

No momento de diversificar a carteira, o ideal é levar em consideração três fatores: liquidez, segurança e rentabilidade. Quer realizar essa estratégia da melhor maneira possível? Continue a leitura e conheça cinco passos que podem te ajudar nesse momento.

Diversificação de investimentos: como realizar essa estratégia em 5 passos

1. Organize sua vida financeira

O primeiro passo para investir com segurança é organizar as finanças e poupar dinheiro. Sendo assim, considere fundamental criar uma reserva de emergência em ativos de baixo risco e alta liquidez, como o Tesouro Direto e títulos de Renda Fixa.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

2. Estude todas as opções de investimento

É fato que diversificar os investimentos não é o mesmo que incluir diferentes ativos na carteira de forma aleatória. Para realizar essa estratégia de forma inteligente, é preciso estudar todos os produtos disponíveis, conhecer suas respectivas características e riscos e ver se ele está de acordo com o seu perfil de investidor.

3. Considere o tripé: liquidez, segurança e rentabilidade

Como citamos anteriormente, o investidor tem, hoje em dia, acesso a diversas opções de investimentos com respostas a diferentes aspectos externos, sejam eles políticos, econômicos ou sociais.

Por isso, é sempre fundamental estudar as oportunidades levando em consideração a liquidez, segurança e rentabilidade para ver se elas realmente fazem sentido para você.

4. Crie um portfólio diversificado

Agora que você já sabe o que fazer antes de começar a montar a sua carteira, chegou o momento de criar o seu portfólio.

Saiba que quanto menor a correlação entre dois ativos, mais a sua carteira estará protegida contra grandes e inesperadas oscilações do mercado.

Sendo assim, considere os diferentes cenários para equilibrar os ativos que se beneficiam mais em uma situação, com os que possuem melhor desempenho na situação oposta, por exemplo.

5. Saiba o momento de avaliar a sua carteira

Pelo fato do mercado estar sempre mudando, o investidor precisa avaliar seus investimentos constantemente e fazer os ajustes necessários pensando no longo prazo.

A empresa Guia Financeiro disponibiliza uma série de produtos em suas plataformas e oferece informações de qualidade, que auxiliam os investidores a entenderem as oportunidades disponíveis e adequadas.

Saiba que a diversificação e a educação devem andar juntas, pois são fundamentais para o desenvolvimento do mercado brasileiro.

Diversificar corretamente é priorizar a proteção do patrimônio sem perder as oportunidades de bons retornos.

Caso ache necessário, solicite ajuda à sua corretora para a formação de uma carteira que apresente um equilíbrio saudável e que atinja o menor nível de risco possível, de acordo com o seu perfil de investidor.

Descomplicamos?

Esperamos que esse artigo tenha sido útil para você. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe o seu comentário para nós. Até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Conheça 10 cursos de finanças gratuitos para aprender a investir

ID Jovem: guia completo 2022

Vale a pena parcelar compras no cartão com inflação em alta?

Copa do mundo 2022: quanto custa completar o álbum?

SOS Nu: saiba como proteger sua conta digital Nubank

Saiba como cobrar um amigo sem perder a amizade

Saiba como bloquear o cartão Bolsa Família

Como enviar e receber dinheiro do exterior pelo PicPay?