Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

E-commerce: como usar o marketing de influência para vender mais?

Por Camila SilveiraPublicado em

Que o número de influenciadores digitais está crescendo a cada dia que passa, isso você já sabe, mas você entende o real poder que essas pessoas têm sobre seus seguidores?

De acordo uma pesquisa realizada pelo Instituto QualiBest, 68% dos brasileiros seguem um influenciador digital e, deste total, 76% já fez alguma compra de produtos ou serviços indicados por eles.

Além disso, existem diversas pesquisas que mostram que os influenciadores brasileiros são capazes de entregar onze vezes mais retorno do que as mídias tradicionais. Para tudo isso, existe uma explicação e um nome: marketing de influência!

Essa estratégia pode ser ideal para alavancar as vendas do seu e-commerce, principalmente porque te possibilita chegar mais perto do seu público-alvo de uma forma muito menos invasiva e muito mais atrativa.

Afinal, o que é marketing de influência?

Como o próprio nome diz, o marketing de influência é uma estratégia que conta com pessoas que possuem um grande número seguidores nas redes sociais, mantêm um bom relacionamento com eles e são autoridades em alguns assuntos específicos para realizar a publicidade de produtos e/ou marcas.

Homem desconfiado com a mão no queixo

Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!

Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

Para aplicar essa estratégia e trazer resultados positivos para o seu negócio, o ideal é encontrar os influenciadores que combinem com o tipo de produto ou serviço que você oferece e também com o público que deseja alcançar para o seu e-commerce.

A boa notícia é que qualquer nicho ou segmento de mercado pode adotar essa tática, seja na moda, alimentos, cursos, tecnologia ou produtos diversos.

E-commerce: como usar o marketing de influência para vender mais?

Ainda de acordo com o levantamento feito pelo Instituto QualiBest, 56% das pessoas que seguem influenciadores digitais o fazem justamente pelas indicações de produtos e serviços. Confira algumas dicas que você pode aplicar como estratégia no seu e-commerce e aumente as suas vendas!

1. Identifique os influenciadores que têm a ver com o seu produto

A quantidade de seguidores é uma métrica bastante importante, mas não é tudo o que você deve avaliar. No momento de elencar os influenciadores digitais adequados para o seu negócio, a prioridade é escolher aqueles que estejam alinhados com os seus objetivos.

Esse filtro pode ser feito pelo Google, nas próprias redes sociais ou através de agências e plataformas especializadas.

Normalmente, esses profissionais oferecem um material que contém dados sobre o seu engajamento, mais conhecido como mídia kit, que basicamente mostra a quantidade de pessoas que costuma visualizar e interagir com o que é publicado.

De toda maneira, o mais importante é encontrar aqueles que sejam referências no seu nicho e atinjam o seu público-alvo.

Segundo um levantamento da Opinion Box, 55% dos brasileiros gostam quando as marcas têm influenciadores ou pessoas famosas apoiando causas em que acreditam. Isso mostra o quanto é fundamental firmar parcerias com pessoas que tenham uma conexão real com a sua marca.

2. Crie um planejamento

Outra recomendação super importante é construir um planejamento para as ações de marketing de influência, incluindo os principais objetivos da sua estratégia. Com essas informações e conhecendo o seu público-alvo, torna-se possível desenhar quais os formatos e plataformas mais adequados para alcançar suas metas.

3. Aproveite as datas comemorativas

A sazonalidade pode ser muito bem aproveitada dentro do marketing de influência, até porque, dependendo do seu segmento, torna-se possível priorizar datas tradicionais, como Dia das Mães, Dia das Crianças e Natal, por exemplo. Nesses períodos, há um maior movimento do comércio e, como resultado, mais oportunidades de vendas.

É possível fazer envio de produtos para divulgação nas redes sociais, investir na presença em um evento da marca, sendo ele presencial ou online, realizar campanhas e até mesmo a co-criação de conteúdos.

4. Seja transparente

Em uma ação com influenciadores digitais, a confiança é tudo. Por isso, é fundamental que os seus parceiros marquem que o conteúdo produzido com a sua marca é uma publicidade paga. Para isso, basta utilizar nas publicações a famosa hashtag #publi.

As informações não mentem: ainda de acordo com o Instituto Qualibest, a maioria dos consumidores (78%) acreditam que essa sinalização seja essencial nas postagens dos influencers.

Além disso, a transparência também está na lei: o artigo 36 do Código de Defesa do Consumidor determina que as publicidades devem ser facilmente identificadas pelos consumidores.

5. Esteja sempre atento aos resultados

Uma das principais vantagens do marketing digital é que você pode mensurar os seus resultados, e isso não é diferente com o marketing de influência.

As métricas mais importantes para ficar atento são o Retorno Sobre Investimento (ROI), que é a relação entre quanto se investiu em uma campanha e quanto ela deu retorno, o aumento do número de vendas e do tráfego e a taxa de conversão do público impactado pelo influenciador digital.

Uma das formas de acompanhar esses resultados é criando links parametrizados e cupons de desconto exclusivo para o influenciador oferecer para a audiência. Assim, você consegue saber a quantidade de visitas e conversões que tiveram origem nos canais desse parceiro.

6. Faça dessa uma estratégia contínua

Com todos esses dados em mãos, chegou o momento de analisar a performance das ações e ver se os objetivos definidos no planejamento foram alcançados. Dessa forma, você consegue saber se vale a pena ou não manter a parceria. Caso a resposta seja sim, o ideal é pensar em ações a longo prazo.

Descomplicamos?

Esperamos ter apresentado boas dicas para você implementar o marketing de influência no seu e-commerce. Se você gostou do conteúdo, deixe a sua curtida ou o seu comentário aqui embaixo e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Camila Silveira

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, adora descomplicar os cartões de crédito, empréstimos, financiamentos, seguros, contas digitais, entre outros. Boa parte do seu trabalho é acompanhar a movimentação dos bancos e instituições financeiras para trazer as principais notícias do mercado.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Sociedade Anônima (S.A): o que esse termo significa?

5 bandeiras de cartão de crédito que você deve aceitar no seu negócio

Varejo pós pandemia: 7 novas tendências para os meios de pagamentos

Google Meu Negócio: como cadastrar minha loja na pesquisa do Google?

Voucher e cartão de benefícios: vale a pena aceitar no meu negócio?

Custo de Aquisição de Cliente (CAC): o que significa?

E-commerce: como usar o marketing de influência para vender mais?

Conheça 6 vantagens em ser um microempreendedor individual