Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Empréstimo imobiliário: dicas para contratar

Por Sabrina VansellaPublicado em

Quer comprar ou realizar aquela reforma na casa própria? O empréstimo imobiliário pode ser uma boa opção para conquistar esse objetivo mais rápido e sem precisar poupar a quantia de dinheiro total. Continue a leitura para entender mais sobre essa modalidade de crédito e as principais dicas na hora de contratar!

O que é o empréstimo imobiliário?

O empréstimo imobiliário, também conhecido como financiamento imobiliário, foi criado para atender pessoas que desejam comprar, construir ou reformar imóveis residenciais ou comerciais e até mesmo imóveis que ainda estão na planta.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Serasa em setembro de 2020, as solicitações de financiamento imobiliários atingiram 7,6% no Brasil naquele período.

No empréstimo imobiliário, as parcelas não podem ultrapassar 30% da renda, o que diminui as chances de inadimplência dos contratos. Além disso, os bancos costumam solicitar um valor de entrada que corresponde a 20% ou 30% do valor total do imóvel.

Quem pode solicitar o empréstimo imobiliário?

Para solicitar um financiamento imobiliário, basta verificar se determinada instituição financeira oferece essa modalidade de crédito. No entanto, existem alguns critérios que você deve se enquadrar. Confira:

Homem desconfiado com a mão no queixo
Com o seu score calculado, você descobre o produto financeiro ideal para você!
Calcule o seu score de forma gratuita, rápida e segura e tenha acesso a centenas de cartões de crédito e outros produtos financeiros.
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Ao criar uma conta você aceita nossos termos de uso política de privacidade. Aceita também receber notificações por e-mail e SMS, que podem ser canceladas quando quiser.

  • Ser brasileiro ou ter visto permanente no país;
  • Ter 18 anos ou mais ou ser emancipado com 16 anos;
  • Não estar inadimplente ou com o nome sujo;
  • Conseguir comprovar renda para o pagamento das parcelas;
  • Estar com os documentos solicitados pela instituição financeira em mãos, como RG, CPF, comprovante de residência e de renda;
  • Ser aprovado na análise de crédito e na análise da documentação realizada pelo banco.

Principais dicas ao solicitar empréstimo imobiliário

Qualquer solicitação de empréstimo ou produto financeiro merece atenção. Afinal, ninguém gosta de ser surpreendido com notícias negativas, como taxas de juros elevadas, por exemplo. Por isso, confira os principais cuidados que você deve ter na hora de solicitar o empréstimo imobiliário:

1. Sempre analise o Custo Efetivo Total (CET)

Além de contratar um empréstimo imobiliário com taxas de juros menores, leve em consideração o Custo Efetivo Total (CET), que nada mais é do que todas as taxas e custos do financiamento. Atenção: todas instituições financeiras são obrigadas a informar esse dado na hora da contratação ou simulação.

2. Utilize o seu saldo FGTS para pagar o financiamento

Caso você tenha trabalhado com carteira assinada por três anos e possui saldo disponível do FGTS, saiba que é possível utilizá-lo no pagamento do financiamento imobiliário.

A quantia pode ser utilizada para pagar o valor de entrada, amortizar ou liquidar o saldo devedor e pagar parte dos valores das parcelas.

3. Consulte o seu CPF e descubra se há alguma pendência no seu nome

Se o seu nome estiver negativado ou com alguma pendência em aberto, dificilmente será aprovado na análise de crédito das instituições financeiras. Para adiantar o processo, faça uma consulta de CPF 100% grátis e descubra se há pendências no seu nome:

Consulte seu CPF grátis e receba as melhores ofertas!

Mais de 300 opções entre cartões de crédito, contas e empréstimos.

Consultar CPF grátis
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

4. Conheça os custos extras na compra de um imóvel

Além das taxas de juros, o valor das parcelas e o CET, existem outros custos na compra de um imóvel que também podem pesar no seu bolso, são eles:

  • Avaliação bancária: o banco também cobra taxas para fazer vistorias do imóvel e da documentação, gira em torno de R$ 3 mil e costuma ser cobrada à vista;
  • Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI): é um imposto municipal que pode variar entre 2% a 4% do valor do imóvel;
  • Taxas de registro do imóvel: são pagas no Cartório de Registro de Imóveis, costuma ser de 1% do valor do imóvel;
  • Seguro do imóvel: é obrigatório e pode variar entre 2,5% a 5% do valor financeira e costuma estar incluída no CET;
  • Corretor: para compras de imóvel por meio de corretor de imóveis é preciso pagar a taxa de corretagem entre 5% a 6% do valor do imóvel.

Descomplicamos?

Esperamos que esse conteúdo tenha te ajudado de alguma forma. Se restou alguma dúvida, faça um comentário que nós descomplicamos para você. Não esqueça de consultar o seu score de crédito gratuitamente e receber ofertas de produtos e serviços mais adequados ao seu perfil:

Consulte seu CPF grátis e receba as melhores ofertas!

Mais de 300 opções entre cartões de crédito, contas e empréstimos.

Consultar CPF grátis
+ 1.267.543 milhões de pessoas já consultaram

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Sabrina Vansella

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos noticiosos e sobre dicas financeiras. Procura simplificar e melhorar a qualidade de vida dos usuários e, para isso, preza por uma pesquisa assídua e uma escrita clara.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Empréstimo Débito em Conta [O que é, Características, Taxas]

Empréstimo com Dinheiro Guardado Nubank: Como Contratar?

Empréstimo com Garantia de Terreno: Conheça e Veja Onde Pedir

Empréstimo imobiliário: dicas para contratar

Beneficiários do Auxílio Brasil podem fazer empréstimo na Caixa?

Uber Lança Empréstimo Para Motoristas

Entenda se a CredFácil é confiável antes de solicitar crédito

Empréstimo consignado empresa privada: entenda como funciona