Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos

Empréstimo: veja como funciona a variação dos juros

Por Thais SouzaPublicado em

A taxa de juros de um empréstimo é a grande preocupação das pessoas antes de contratar esse serviço. A variação dos juros pode fazer com que o valor final dobre e, quem contrata, na maioria das vezes, não leva em consideração como esse valor é calculado. 

Antes de pedir qualquer tipo de empréstimo, é fundamental entender essa variação de juros para então comparar as opções do mercado e contratar o crédito que será mais vantajoso para seu perfil. Quer saber como funciona? Então vamos lá! 

Taxas de juros dos empréstimos

A taxa de juros funciona como uma compensação pelo risco que as instituições financeiras correm ao emprestar um valor a alguém. Ou seja, uma prevenção para possíveis inadimplências.

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

Esse tributo tem um papel importante e impacta diretamente no custo total de um empréstimo e das suas parcelas. Mas, você sabe como isso é calculado? 

Variação dos juros do empréstimo

Existem diversos fatores que incidem na definição da taxa de juros de um empréstimo. Inclusive, cada instituição financeira cobra um valor diferente.

De forma geral, os juros são calculados de acordo com o perfil financeiro do solicitante, política de crédito da instituição financeira, valor e número de parcelas e a taxa básica de juros, Selic. 

Como a taxa SELIC influencia nos juros do empréstimo

A Selic é uma taxa básica da economia brasileira. Ela é utilizada para determinar os juros de vários serviços financeiros, incluindo empréstimos.

A inflação e o cenário econômico do país influencia diretamente na taxa Selic que, por sua vez, também impacta no valor dos juros de um empréstimo, financiamento, investimento, dentre outros. 

CET – Custo Efetivo Total

O Custo Efetivo Total (CET) é o valor final que o consumidor vai pagar pelo empréstimo, somando os juros, encargos e taxas. Ou seja, não são só os juros que impactam diretamente no CET. Confira quais as outras tarifas cobradas sobre o valor do crédito:

  • Imposto sobre Operações Financeiras (IOF): esse encargo é obrigatório e é cobrado sobre qualquer tipo de operação de crédito. A taxa cobrada para empréstimos é de 0,38% mais uma alíquota diária, que varia conforme o tipo de transação.
  • Tarifa de cadastro: cobrada por algumas instituições para cobrir os custos com a análise de crédito do cliente;
  • Seguros: não é obrigatório , mas algumas instituições cobram tipos de seguros para garantir o pagamento das parcelas em caso de morte ou desemprego do contratante.

Como a análise de crédito influencia nos juros de um empréstimo

Antes de aprovar empréstimo a alguém, a instituição financeira faz uma análise de crédito e, de acordo com o score do consumidor, define parte dos juros das parcelas.

Ou seja, a empresa avalia o risco do consumidor ficar inadimplente e, quanto menor a pontuação de score, maiores serão os juros. 

Valor e número de parcelas 

O valor do crédito e o número de parcelas também influencia na taxa de juros. Isso porque, quanto maior for a sua dívida com o banco, o risco de inadimplência também aumenta.

Por isso é tão importante solicitar somente o valor necessário. Dessa forma, você pode conseguir condições mais atrativas. 

Tipo de empréstimo

Existem diversas categorias de empréstimos e, isso também impacta no valor dos juros. Confira as principais opções:

Empréstimo pessoal

O empréstimo pessoal é muito procurado pela facilidade de contratar. Você não precisa dizer para onde vai o crédito emprestado e a análise de crédito não costuma ser tão exigente. 

Os juros dessa modalidade são os que mais variam, pois vão depender diretamente do perfil de quem solicita.

Empréstimo consignado

empréstimo consignado é uma das linhas de crédito mais atrativas. Essa categoria é destinada a aposentados, servidores públicos e pensionistas do INSS. 

O valor das parcelas é descontado diretamente no holerite ou benefício do solicitante, antes mesmo de cair na conta dele. Como essa é uma garantia de pagamento para o banco, os juros costumam ser bem menores.

Empréstimo com garantia

O empréstimo com garantia é uma modalidade na qual o solicitante oferece um bem material como garantia de pagamento, como: uma casa ou carro.

Nesse caso, é possível conseguir taxas de juros mais baixas e parcelas mais baratas, justamente porque você garante que vai quitar a dívida e, se não pagar, o banco pode tomar posse do seu bem.

Dica Foregon 

O empréstimo é um grande investimento na vida das pessoas. Por isso, é muito importante avaliar com cautela a real necessidade de contratá-lo e sempre levar em consideração o seu orçamento pessoal. 

A dica é: nunca contrate um empréstimo cujo as parcelas ultrapassem 30% da sua renda mensal. Dessa forma, você não corre o risco de não conseguir quitá-las lá na frente. Um bom planejamento financeiro pode ajudar, e muito, nesse processo.

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário que a gente descomplica para você. Até a próxima! 😉 

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida de pessoas que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

InfoMoney lança planilha para cálculo de empréstimos

Méliuz lança plataforma de empréstimos online: saiba mais

Conta digital iti Itaú anuncia empréstimo no aplicativo

Conheça o novo empréstimo entre amigos lançado pelo PicPay

Santander aumenta prazo de pagamento de empréstimos para 6 anos

Como contratar o empréstimo com portabilidade de salário do Nubank?

Nubank lança nova modalidade de empréstimo com juros menores

PicPay oferece empréstimo sem necessidade de conta em banco e outras vantagens