Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Entenda a variação do dólar: guia completo

Thais SouzaPublicado em

dólar muda diariamente e muitas vezes ao dia e essa variação afeta as nossas vidas. Seja para fazer um investimento, uma viagem ou até nos preços de produtos e serviços do nosso mercado interno.

Mas, você sabe exatamente por que essas mudanças acontecem? Neste guia completo você vai conferir o que é o dólar, como funciona sua variação e outras informações relevantes. Vamos lá?

Você encontra nesse artigo:

Sobre o dólar

O dólar (USD) é a moeda oficial de uma das maiores potências do mundo, os Estados Unidos e, também, a mais utilizada globalmente. Ele é emitido pela  Reserva Federal dos Estados Unidos (FED), instituição que funciona como o Banco Central no Brasil.

O símbolo do dólar é US$, muitas vezes representado apenas por $, e suas divisões incluem seis moedas e seis notas:

  • US$ 1;
  • US$ 5;
  • US$ 10;
  • US$ 20;
  • US$ 50;
  • US$ 100.

O dólar americano é a única moeda de referência mundial da história, ou seja, o mundo gira em torno dele. Mas por que isso acontece?

Para garantir a estabilidade econômica mundial, as instituições financeiras precisavam de uma moeda padrão para que suas negociações comerciais respeitassem um preço fixo. Assim, nenhum país poderia alterar sua taxa de câmbio para aumentar a exportação ou reverter o déficit comercial.

Por conta dos Estados Unidos ser a maior potência mundial, foi adotado o dólar como o padrão de referência para as negociações comerciais. Até meados da Primeira Guerra Mundial, o padrão adotado era o ouro.

Quais são os tipos de dólar existentes?

Primeiramente, é preciso que você entenda que existem cinco tipos de dólar, sendo que os mais utilizados são: o comercial e o turismo. Veja como funciona cada um deles:

Dólar turismo

O dólar turismo é aquele que compramos na casa de câmbio quando vamos viajar para o exterior ou o que utilizamos para comprar algo em sites internacionais, como passagens aéreas, eletrônicos, entre outros itens. Ou seja, trata-se da moeda física.

Para a conversão de Reais em dólares é utilizada a taxa de câmbio, que corresponde ao preço da moeda estrangeira no Brasil. Por exemplo: se você planeja viajar ao exterior, visita uma casa de câmbio para comprar dólares e o dólar turismo está valendo R$ 5,30, quer dizer que a cada US$ 1 comprado, você terá que pagar R$ 5,30.

Esse tipo de dólar geralmente é o mais caro, já que o volume de transações realizadas com ele é relativamente pequeno perto do dólar comercial. Além disso, outros fatores influenciam no seu valor, como: custos com impostos, importação do papel-moeda, custos administrativos, logística, entre outros.

Dólar comercial

O dólar comercial é utilizado em transações comerciais, negociado por empresas ou instituições financeiras. Ou seja, ele é utilizado para várias movimentações, como compra e venda de mercadorias entre empresas brasileiras e estrangeiras, empréstimos de brasileiros em outros países registrados no Banco Central, dentre outras.

Quando o governo realiza alguma compra ou venda de dólar para fazer a gestão das suas reservas, se trata do dólar comercial. Desta forma, é possível concluir que o Banco Central tem forte influência sobre o dólar comercial.

Por ser movimentado em grandes quantias, o dólar comercial costuma ser mais barato que o turismo. Além disso, seu valor é o que impacta a economia.

Outros tipos de dólar

Além dos mais comuns utilizados pelo mercado e por quem pretende viajar para o exterior, existem outros três tipos de dólar, que são menos conhecidos, mas não menos importantes. Conheça:

  • Dólar paralelo: é a cotação da moeda fora dos meios legais. Ele é utilizado por doleiros, casas de câmbio não-autorizadas pelo BC e outros meios não regularizados;
  • Dólar à vista: o dólar à vista, geralmente, é utilizado por empresas que estão fechando algum tipo de contrato no mercado financeiro. Essas operações são lastreadas sobre o valor do dólar presente, ou seja, valor corrente no momento da negociação;
  • Dólar futuro: uma taxa utilizada para diversos contratos em dólar de compra e venda, que são firmados sobre o valor futuro do dólar, mas com o preço estabelecido previamente. Esse tipo de negociação é muito comum no mercado de futuros, que faz parte da Bolsa de Valores.

Entenda sobre a variação do dólar

Você já se perguntou por que o preço do dólar sobe e desce com tanta frequência? Isso acontece por conta da oferta e demanda do mercado.

Por exemplo: o dólar comercial é utilizado em diversas situações, como: compra e venda de produtos, importações e exportações, investimentos, transações comerciais entre o governo e os bancos, e muitas outras oportunidades.

Após essas transações acontecerem, caso sobre dólar no mercado, sua cotação fica mais baixa. Mas, quando muitas pessoas começam comprar dólar ao mesmo tempo, a cotação sobre. Isto ocorre porque o Brasil adota, desde 1999, a política do câmbio flutuante, que diz que o governo não deve interferir diretamente na taxa de câmbio.

Dólar alto: o que significa?

Quando o dólar está alto, isso significa que várias áreas da economia que usam a moeda internacional como base vão ser impactadas. Confira o que acontece nessas situações:

  • Inflação mais alta: produtos importados ou que tenham cotação em dólar estão ficando mais caros, afetando diretamente as matérias-primas e insumos usados pela indústria;
  • Menor poder de compra das famílias: com produtos do dia a dia mais caros, as famílias também têm menor poder de compra;
  • Menos turismo internacional: com o dólar alto, viajar para o exterior também fica mais caro, o que diminui a demanda de turismo internacional;
  • Menor previsibilidade para investir: os investimentos são um dos setores mais impactados com a alta do dólar. Isso acontece porque, com a instabilidade causada pela alta, investidores perdem o poder de projetar o comportamento da economia;
  • Percepção de risco: quando o dólar sobe, investidores e empresários têm menor capacidade de previsão da economia, o que pode ocasionar em um aumento de taxas pagas por empresas, bancos e do governo brasileiro em casos de empréstimos internacionais.

Qual o motivo da alta do dólar?

Como dito anteriormente, muitos fatores influenciam na alta do dólar. Isso envolve a política, a economia, gastos e vários outros aspectos. Confira com detalhes:

  • Déficit da balança comercial: o chamado déficit comercial acontece quando o Brasil importa mais do que exporta, ocasionando na diminuição da oferta de dólares, o que puxa pra cima a cotação da moeda;
  • Gastos no exterior: quando a moeda nacional está desvalorizada, os brasileiros tendem a consumir menos no exterior. Quando está em alta, o poder de compra dos consumidores aumenta e espera-se um maior nível de gastos no exterior;
  • Juros dos Estados Unidos: quando há variação de alta nos juros pagos em investimentos pelos Estados Unidos, a tendência é que os investidores do Brasil levem seu dinheiro para fora, já que os rendimentos lá ficam mais altos;
  • Política: se os investidores e o mercado financeiro tiverem a percepção de que o Brasil está passando por uma situação política turbulenta, que pode afetar seus investimentos, eles tiram o dinheiro dessas aplicações, o que ocasiona o aumento do dólar.

Vantagens do dólar alto

É comum relacionarmos o dólar alto a algo que é ruim para a economia. Mas você sabia que também existem vantagens? A primeira delas é que quando o dólar sobe, os produtos que são produzidos no Brasil ficam mais baratos no exterior, o que favorece as exportações.

Além disso, pode-se gerar uma maior competitividade, já que com a moeda local mais barata, o nosso país consegue compensar os custos elevados existentes, como aqueles ocasionados por cargas tributárias mais elevada que em países concorrentes.

Além disso, o dólar alto também é uma forma de atrair investimentos no mercado financeiro, pois, com o real fraco, os ativos do Brasil ficam mais atraentes para os estrangeiros, que trazem mais dinheiro para a nossa Bolsa de Valores e também para programas de privatização e novos projetos privados.

Dólar baixo: o que significa?

Quando o dólar cai, isso significa uma estabilidade na economia do Brasil, isso porque nossa moeda está mais próxima da cotação do dólar e essa queda indica que o mercado está confiante.

Com a cotação do dólar mais baixa, as importações são favorecidas, a indústria local se beneficia podendo comprar matéria prima mais em conta e o preço dos produtos caem, aumentando o poder de compra do consumidor.

Qual o motivo da baixa do dólar?

Os mesmos fatores que causam a alta da moeda americana, se aplicados ao contrário, explicam a queda em relação ao real:

  • Superávit comercial: quando empresas brasileiras vendem mais produtos no exterior, entram mais dólares no país, aumentando a oferta;
  • Gastos de estrangeiros: a entrada de turistas estrangeiros no Brasil também traz mais da moeda para o país;
  • Juros do Brasil: quando os juros brasileiros sobem, vale a pena para investidores trazerem seu dinheiro para cá, já que os rendimentos aqui ficam mais altos.

Qual o valor do dólar hoje?

O dólar muda todos os dias e você pode acompanhá-lo sempre que desejar através do site do Banco Central.

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Thais Souza

Redatora e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, se identifica com conteúdos relacionados a investimentos e empréstimos e acredita que esse tipo de conhecimento pode mudar a vida das pessoas. Busca impactar a vida dos usuários que buscam resolver um problema ou conhecer melhor um produto ou serviço financeiro.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Instagram como ferramenta de negócios: guia completo

Como recarregar Bilhete Único pelo celular?

PicPay: como fazer cobranças pelo aplicativo?

Caixa abre 10 mil vagas de emprego para concursados, estagiários e aprendizes

Open Banking ou Open Finance: o que você precisa saber sobre esses sistemas

Não consegue guardar dinheiro? Conheça a “poupança por assinatura”

Golpe da revisão do INSS: veja como se proteger

Quer mudar de carreira? Confira essas dicas para trocar de profissão