Ir para o conteúdo principal
Foregon.comConteúdos
Acesse sua conta

Entenda como os criminosos querem fraudar o seu Pix e se proteja

Por Janaína TavaresPublicado em

Não devemos negar que o novo sistema de pagamentos do Banco Central, mais conhecido como Pix, é extremamente seguro.

No entanto, muitas pessoas estão caindo em golpes causados por criminosos, que estão enviando links falsos por e-mail, WhatsApp, chats de redes sociais e SMS. Fique atento, se isso acontecer com você, saiba que trata-se de uma fraude.

Desde o dia 16 de novembro, data em que o Pix entrou em pleno funcionamento, as transações bancárias só foram realizadas através dos canais oficiais das instituições financeiras, como pelo aplicativo oficial, Internet Banking, agências físicas ou pelo canal de atendimento dos respectivos bancos. 

Imperdível
Sua chance de ter um cartão de crédito sem anuidade78.477 pessoas já pediram
Ver cartão
Encerra em 16:20

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), as tentativas de fraudes envolvendo o Pix foram e estão sendo identificados como ataques de "phishing", ou melhor, pescaria digital.

A técnica de engenharia social utilizada pelos criminosos consiste na manipulação do usuário para que ele ofereça informações confidenciais, como senhas e números de cartões. Segundo a entidade, existem outras formas de golpes, que consistem na ligação de centrais falsas que oferecem o cadastramento das chaves Pix.

Os golpistas entram em contato com uma pessoa fingindo ser um funcionário de um determinado banco e solicita dados pessoais e financeiro da vítima. 

"Os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras, muito menos podem ser usados indevidamente para o cadastramento do Pix sem o seu consentimento. Na dúvida, sempre procure o gerente, uma agência ou a central de atendimento oficial da instituição para obter esclarecimentos", afirmou em nota Issac Sidney, presidente da Febraban.

É importante ressaltar que durante a quarentena causada pela pandemia da Covid-19, as instituições financeiras tiveram um aumento de 80% nas tentativas de ataques de phishing.

Adriano Volpini, diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, afirma que hoje em dia 70% das fraudes estão relacionadas à engenharia social.

"Seja pelo telefone, por e-mail, pelas mídias sociais ou SMS, o fraudador solicita dados pessoais do cliente, como números de cartões e senhas, em troca de algo. Neste caso do Pix, oferece um falso cadastramento da chave do sistema de pagamento eletrônico", explicou Volpini.

Descomplicamos?

Esperamos ter ajudado você com esse conteúdo. Em caso de dúvidas ou sugestões, deixe um comentário para nós e até a próxima!

Gostou? Deixe seu curtir
Compartilhe
Janaína Tavares

Jornalista e Especialista em Produtos e Serviços Financeiros na Foregon, a Janaína (ou Jana). Como redatora, ama os conteúdos sobre dicas financeiras. Preza pela checagem de todas as informações e o conteúdo perfeito para ela, é aquele que ajuda o leitor a resolver um problema, ensinando e orientando o leitor a tomar a melhor decisão.

Ver todos os posts

Deixe seu comentário

Leia também

Pix: como usar o sistema?

Cadastro da chave Pix não é obrigatório

Itaú afirma que Pix está substituindo TED e outras transações: entenda

Pix: função soma R$ 1 tri em transações e responde por metade das transferências

Pix: qual o limite diário de transações?

iFood agora aceita Pixcomo forma de pagamento

Pix Cobrança: entenda como funciona o novo serviço do BC

BC vai liberar estorno de dinheiro pelo Pix em caso de fraudes ou falhas